Últimas Notícias
Política
Senado aprova dia nacional em homenagem às vítimas da covid-19

Por Agência Brasil

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária semipresencial. 

Na ordem do dia, projeto que altera os limites da Floresta Nacional de Brasília e da Reserva Biológica da Contagem, e projeto de lei que institui o Dia Nacional em Homenagem às Vítimas da Covid-19. Plenário analisa, ainda, projeto que cria o Cadastro Nacional de Pessoas Condenadas por Crime de Feminicídio, Estupro, Violência Doméstica e Familiar contra a mulher (CNPCMulher), projeto que prevê incentivos à indústria da reciclagem, e por fim, Projeto de Decreto Legislativo (PDL) que aprova acordo de comércio e cooperação econômica entre Brasil e Estados Unidos.

Mesa:
assessor Especial de Relações Internacionais da Presidência do Senado, Luiz Fernando Faria;
presidente do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG);
secretária-geral da Mesa adjunta do Senado Federal, Sabrina Silva Nascimento.

Em discurso, à tribuna, senador Jorge Kajuru (Podemos-GO).

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Crédito: Waldemir Barreto

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária semipresencial. Na ordem do dia, projeto que altera os limites da Floresta Nacional de Brasília e da Reserva Biológica da Contagem, e projeto de lei que institui o Dia Nacional em Homenagem às Vítimas da Covid-19. Plenário analisa, ainda, projeto que cria o Cadastro Nacional de Pessoas Condenadas por Crime de Feminicídio, Estupro, Violência Doméstica e Familiar contra a mulher (CNPCMulher), projeto que prevê incentivos à indústria da reciclagem, e por fim, Projeto de Decreto Legislativo (PDL) que aprova acordo de comércio e cooperação econômica entre Brasil e Estados Unidos. Mesa: assessor Especial de Relações Internacionais da Presidência do Senado, Luiz Fernando Faria; presidente do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG); secretária-geral da Mesa adjunta do Senado Federal, Sabrina Silva Nascimento. Em discurso, à tribuna, senador Jorge Kajuru (Podemos-GO). Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O Senado aprovou, na tarde desta quarta-feira (17), em votação simbólica, um projeto de lei que institui o dia 12 de março como data nacional em homenagem às vítimas da covid-19. Neste mesmo dia, em 2020, ocorria a primeira morte pela pandemia que se espalhava pelo país. A vítima foi uma mulher de 57 anos, que havia sido internada no Hospital Municipal Dr Carmino Caricchio, em São Paulo (SP), no dia 11 de março.

Com a aprovação do texto pelos senadores, ele que segue agora para a Câmara dos Deputados. A iniciativa da homenagem é da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia. Os senadores Rogério Carvalho (PT-SE) e Humberto Costa (PT-PE), signatários do PL 2.356/2021, mencionaram o elevado número de mortes de covid-19 no país e lembraram que “cada uma dessas vidas perdidas importa muito e jamais as esqueceremos”.

Eles enalteceram os esforços dos profissionais de saúde no combate à doença, avaliando que “o Sistema Único de Saúde (SUS) mostrou resiliência e não há dúvidas de que, sem um sistema público e gratuito que atendesse o povo brasileiro, tudo teria sido muito pior”.

Já a relatora do PL, senadora Simone Tebet (MDB-MS), líder da bancada feminina que também integrou a CPI da Pandemia, explicou que o dia não será considerado um feriado. Ela reforçou a ideia de que a data servirá para homenagear não apenas as vítimas da doença, mas também seus familiares e os profissionais de saúde.

A senadora fez referência à memória dos senadores Major Olímpio (SP), Arolde de Oliveira (RJ) e José Maranhão (PB), que morreram em decorrência da covid-19. Ela lamentou que tenha sido cumprida a previsão de que cada um dos sobreviventes da pandemia sentiria os efeitos da morte de um parente ou amigo.

"Importante dizer que, quando se anunciou a primeira morte pela covid-19 no Brasil, a previsão era que, se fôssemos todos sobreviventes, nós sofreríamos a dor da perda de pelos menos um familiar ou amigo. A previsão, infelizmente, foi acertada. Gente sangue do nosso sangue, pessoas partiram do nosso convívio e foram morar no significado final de cada um dos números dessa homenagem, que hoje instituímos. Não podemos deixar cair no esquecimento"  

Dede o início da pandemia, o Brasil já registrou 611.478 mortes por covid-19.

*Com informações da Agência Senado