Últimas Notícias
Saúde
Cariocas mantêm proteção no primeiro dia da liberação de máscaras

Por Agência Brasil

Movimentação de pessoas no centro da cidade no primeiro dia de flexibilização do uso de máscaras ao ar livre no Estado do Rio de Janeiro.

Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil; /Agência Brasil

Movimentação de pessoas no centro da cidade no primeiro dia de flexibilização do uso de máscaras ao ar livre no Estado do Rio de Janeiro.

No primeiro dia de liberação do uso de máscaras em lugares públicos, a maioria dos cariocas manteve o uso da proteção facial para prevenção da covid-19.

A reportagem da Agência Brasil percorreu, nesta quinta-feira (18) diversas ruas da centro do Rio de Janeiro e constatou que eram poucas as pessoas que circulavam sem a máscara protetora no rosto. Resolução da Secretaria estadual de Saúde (SES), publicada no início da tarde hoje, em edição extra do Diário Oficial, liberou o uso de máscaras em ambientes externos, mas manteve a obrigatoriedade em lugares fechados e no transporte público.

Para o artista plástico Carlos Antônio Correia de Araújo, o uso da máscara ainda é necessário. “Vou ficar ainda um tempinho com ela, e também estou protegendo o próximo, a doença ainda está aí, não vou tirar a máscara tão cedo”, disse Araújo.

O oficial da Marinha Mercante Jeferson Menezes também é a favor do uso da máscara. “Se a pessoa acha que deve continuar usando, use, se achar que não, não use. Não custa nada, vou continuar usando a máscara”, afirmou.

A advogada Elaine, que se identificou apenas com o primeiro nome, é contra o uso de máscara e acha que o uso dessa proteção pode ocasionar danos à saúde. “Só uso em locais fechados porque é obrigatório, do contrário, não usaria. Você ficar usando uma máscara [em] que respira o mesmo ar que bota para dentro e para fora, não é possível que seja uma coisa saudável”, disse Elaine.

O que diz a resolução

A partir de agora, cabe à Secretaria Estadual de Saúde flexibilizar o uso de máscaras em lugares públicos nos 92 municípios.

Entre os critérios estabelecidos, é exigido que 75% da população, com 12 anos ou mais, tenham se vacinado com duas doses ou dose única da vacina contra a covid-19. Ou, ainda, que 65% da população total do município esteja totalmente imunizada contra a doença.

Além disso, o mapa de risco de covid-19, divulgado semanalmente pelo estado, deverá estar em níveis muito baixo (verde), baixo (amarelo) ou moderado (laranja).

Dentro destes critérios, cabe a cada prefeitura liberar ou não o uso da proteção em seu município.