Últimas Notícias
Saúde
Covid-19: Rio tem menor taxa de transmissão desde o início da pandemia

Por Agência Brasil

População usa máscaras nas ruas do Rio de Janeiro, desde ontem (23) a prefeitura tornou o uso obrigatório através de decreto.

Crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil

População usa máscaras nas ruas do Rio de Janeiro, desde ontem (23) a prefeitura tornou o uso obrigatório através de decreto.

O secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro Daniel Soranz disse hoje (6), que o município está vivendo o melhor cenário epidemiológico e a menor taxa de transmissão de covid-19. “A gente tem hoje a menor taxa de transmissão da doença, desde o início da pandemia [março de 2020] e o menor número de pacientes internados”, explicou em rede social.

Soranz disse que a capital tem hoje um cenário epidemiológico muito estável e está há seis semanas com redução do número de casos da doença. “Hoje as evidências científicas e os números atuais dão segurança para a gente começar a planejar medidas seletivas para a cidade do Rio de Janeiro”. O secretário disse que a suspensão da obrigatoriedade do uso de máscara ocorrerá quando a cidade atingir o percentual de vacinação adequado indicado pelo Comitê Científico da prefeitura.

“Isso só ocorrerá quando tivermos 65% do total da população da cidade vacinada e 80% da população adulta vacinada. Isso deve acontecer em torno de 10 a 15 dias e a gente vai acompanhar os indicadores epidemiológicos até lá. Nós ainda temos 15 dias para acompanhar essa evolução da vacinação”, avaliou o secretário.

Flexibilização

Segundo Daniel Soranz, para avançar na flexibilização é preciso avançar na vacinação. “Então o máximo de vacina que a gente recebe, a gente reduz o tempo de aplicação para poder proteger a população o mais rápido possível. Essa é a nossa estratégia. A expectativa é chegar ao final de outubro com todos os maiores de 60 anos vacinados com a terceira dose [dose de reforço] e também chegar a 80% da população vacinada no mês de novembro”, disse o secretário.