Últimas Notícias
Saúde
Covid-19: SP aplica terceira dose em idosos a partir de setembro

Por Agência Brasil

Vaincação contra covid - Vacina Astrazeneca - Centro de Saúde n°13, 23/07/2021 Fotos: Myke Sena/MS

Crédito: Myke Sena/MS

Vaincação contra covid - Vacina Astrazeneca - Centro de Saúde n°13, 23/07/2021 Fotos: Myke Sena/MS

Idosos com mais de 60 anos de idade do estado de São Paulo vão tomar a terceira dose da vacina contra a covid-19 a partir do dia 6 de setembro. A informação foi dada hoje (25) pelo governador João Doria.

A medida vale para todos aqueles que já completaram a segunda dose há mais de seis meses. Já os que tomaram a segunda dose há menos de seis meses ainda deverão aguardar para tomar a terceira dose.

“É a partir do sexto mês que há a possibilidade de uma queda na imunidade. Então não teria sentido a dose adicional para as pessoas que ainda estão por completar seis meses da aplicação da segunda dose ou da dose única da Janssen”, explicou João Gabbardo, coordenador executivo do Centro de Contingência.

A terceira dose de vacina para idosos têm sido cobrada por especialistas por causa da queda na proteção para idosos, o que vem provocando aumento no número de internações para essa faixa etária, mesmo entre os  já vacinados, desde o mês passado. Ela também é necessária por causa da variante Delta, que surgiu inicialmente na Índia, e vem provocando aumento de casos de covid-19 em todo o mundo.

“Temos melhoras nos indicadores em São Paulo. Mas também temos uma preocupação importante, principalmente com a presença da variante Delta na nossa população. O que observamos em outros países é que, mesmo com vacinados, a variante Delta se instalou e se tornou dominante. Por isso, entendemos que esse é um passo a mais na segurança da população mais vulnerável”, disse Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo.

Segundo João Gabbardo, coordenador executivo do Centro de Contingência, a dose de reforço será feita com a vacina que estiver disponível no posto de saúde, independentemente de qual vacina foi tomada anteriormente pelo idoso. A dose de reforço vale inclusive para aqueles que tomaram a dose única da Janssen.  A maior parte dos idosos do país tomaram a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac, e que é aplicada em duas doses.

O governo paulista ainda não anunciou como será feito o escalonamento, ou seja, em que dias cada faixa etária acima de 60 anos poderá buscar um posto de saúde. O governo só definiu que vai ser feito em ordem decrescente, começando pelas pessoas acima de 90 anos.

Não será preciso fazer um novo credenciamento no site VacinaJá para fazer o credenciamento para a terceira dose.

Até este momento, 49 milhões de doses de vacinas já foram aplicadas em São Paulo. O estado tem 34,08% de sua população com esquema vacinal completo.  O número de casos, de óbitos e de internações vem caindo e já é o menor índice do ano.