Últimas Notícias
Geral
Com obstrução intestinal, presidente será levado para São Paulo

Por Agência Brasil

Presidente Jair Bolsonaro esteve em Jucurutu, Rio Grande do Norte, para participar de visita técnica à Barragem de Oiticica.

Câmera: Marcos Corrêa/PR

Crédito: Marcos Corrêa/PR

Presidente Jair Bolsonaro esteve em Jucurutu, Rio Grande do Norte, para participar de visita técnica à Barragem de Oiticica. Câmera: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro, que foi internado no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, na manhã desta quarta-feira (14), será transferido para São Paulo, onde fará exames complementares para verificar a necessidade de uma cirurgia de emergência. A decisão foi tomada pelo médico Antonio Luiz Macedo, responsável pelas cirurgias no abdômen do presidente.

Em nota oficial, a Secretaria de Comunicação Social do Ministério das Comunicações informou que Bolsonaro foi diagnosticado com um quadro de obstrução intestinal. Nos últimos dias, o presidente vinha apresentando soluços persistentes, além de mal-estar, que o levaram a ser internado durante a madrugada no HFA.    

"Após exames realizados no HFA, em Brasília, o dr. Macedo, médico responsável pelas cirurgias no abdômen do Presidente da República, decorrentes do atentado a faca ocorrido em 2018, constatou uma obstrução intestinal e resolveu levá-lo para São Paulo onde fará exames complementares para definição da necessidade, ou não, de uma cirurgia de emergência", diz a nota.

No Palácio do Planalto, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, falou sobre o estado de saúde de Bolsonaro. “O presidente está bem, foi sedado pela manhã para descansar. Acordou, conversou com o médico, e o médico vai levar ele para São Paulo. Ainda não tenho o nome do hospital, mas creio que seja o mesmo hospital onde ocorreram as outras cirurgias do presidente com o Dr. Macedo”, disse.

Desde o atentado na campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro já passou por um total de sete cirurgias na região do abdômen para correção das lesões sofridas no intestino. Há alguns meses, ele afirmou a apoiadores que faria ainda uma nova operação, dessa vez para remover uma hérnia.

Em postagem no Twitter, o presidente comentou sobre o seu estado de saúde e voltou a mencionar o atentado que sofreu.  "Um atentado cruel não só contra mim, mas contra a nossa democracia. Peço a cada um que está lendo essa mensagem que jamais desista das nossas cores, dos nossos valores! Temos riquezas e um povo maravilhoso que nenhum país no mundo tem. Com honestidade, com honra e com Deus no coração é possível mudar a realidade do nosso Brasil. Assim seguirei!" escreveu. 

 

*Matéria atualizada às 17h40 para acréscimo de informação