Últimas Notícias
Saúde
Covid-19: São Paulo mantém transição, mas amplia horário do comércio

Por Agência Brasil

São Paulo - Comércio de rua reaberto após início da fase de transição do Plano São Paulo para combate à covid-19, no centro da capital.

Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil

São Paulo - Comércio de rua reaberto após início da fase de transição do Plano São Paulo para combate à covid-19, no centro da capital.

Com a diminuição do número de pacientes internados por covid-19 nos últimos dias, o governo de São Paulo decidiu flexibilizar a fase de transição, que está em vigor em todo o estado desde o dia 18 de abril. Com isso, comércio e serviços poderão estender o horário de funcionamento até as 23h. Antes, as atividades eram permitidas das 6h às 21h.

Além disso, será ampliada de 40% para 60% a ocupação permitida nesses locais. O toque de recolher continua, mas agora vai funcionar entre as 23h e as 5h. As mudanças na fase de transição começam a valer no feriado estadual desta sexta-feira (9) e vão até 31 de julho.

O Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, no entanto, recomenda que os prefeitos das cidades paulistas onde a ocupação de leitos ainda está alta não ampliem o horário de funcionamento do comércio e serviços e mantenham medidas mais restritivas.

As alterações na fase de transição foram possíveis após a ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) ter começado a diminuir no estado. Nesta semana, pela primeira vez após quatro meses, o estado voltou a registrar menos de 9 mil pessoas internadas em UTIs.

Nesta quarta-feira (7) havia 8.759 pacientes internados em estado grave, além de 8.713 em leitos de enfermaria. A taxa de ocupação de leitos de UTI no estado está hoje em 70,19%. Segundo o governo estadual,  a diminuição na ocupação de leitos é resultado da vacinação.

Na semana passada, os três indicadores relacionados à covid-19 caíram no estado de São Paulo. O número de casos caiu 20,6% na comparação com a semana anterior. Nas internações, houve queda de 11,4%, e o número de óbitos caiu 10,6%.