Patronal

Simespi na vanguarda

José Ricardo Ferreira
31/07/2022 às 08:11.
Atualizado em 31/07/2022 às 08:12

Euclides Libardi, do Simespi: conjuntura de dados e cobrança por infraestrutura (Mateus Medeiros)

O presidente Euclides Baraldi Libardi observa que o Simespi, sindicato patronal das indústrias metalúrgicas de Piracicaba, Rio das Pedras e Saltinho, tem buscado soluções para problemas de infraestrutura e também investido em parcerias para melhorar o banco de dados do segmento.

Ele explica que a indústria precisa de espaço para crescer. “Um dos pontos principais é ter espaço para expansão, além de uma boa infraestrutura. Em abril deste ano entregamos ao governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, um projeto de restauração do pavimento do Unileste, que é o distrito industrial mais antigo de Piracicaba e que está precisando de melhorias. Esse projeto foi elaborado, a pedido do Simespi, pela empresa MAP Geotécnica pelo valor de R$ 31 mil. Já o custo total da obra é estimado em R$ 9 milhões. Atualmente, temos conquistados cerca de R$ 2 milhões em parceria com deputados estaduais da região. Esperamos, portanto, continuar contando com os esforços dos representantes do Legislativo, bem como das administrações municipal, estadual e federal”, detalhou o dirigente empresarial.

Ele diz ainda que há um projeto de melhorias na infraestrutura do distrito Unileste. “Essa é uma ação que irá beneficiar 120 empresas e aproximadamente 15 mil trabalhadores que circulam pelo local. O governo estadual já liberou R$ 1 milhão para o asfalto e ainda estamos conseguindo mais verbas. Outras pautas que estamos em diálogo com representantes do poder público é em relação à taxa de licenciamento ambiental da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo); o aumento do ICMS e a revogação que foi feita pelo governo estadual em relação a benefícios fiscais e alíquotas; o saldo credor do ICMS em relação a saídas das exportações; e a diferença de teto entre o Simples Paulista e o Simples Nacional. Esses todos são temas importantes, mas que precisam de negociação”, explicou Libardi.

Buscar o aperfeiçoamento profissional é outra ação que o Simespi mantém constantemente em seus projetos junto aos associados. Considerando a importância da evolução tecnológica e o desenvolvimento de novas ferramentas de gestão nestes novos tempos, buscamos oferecer cursos de atualização e capacitação ministrados por professores atuantes. Esses cursos foram programados de acordo com as necessidades das empresas, a partir de pesquisa anual. Assim, em 2021 foram realizados 57 cursos e palestras com a participação de 1.174 pessoas. Apenas no primeiro semestre deste ano, já capacitamos aproximadamente 1.500 pessoas. Além disso, oferecemos cursos gratuitos e, quando são pagos, nossas associadas contam com desconto de aproximadamente 60%”, declarou o presidente do sindicato patronal.

Ele reforça que um dos maiores problemas que a indústria enfrenta é a falta de qualificação da mão de obra. “Além disso, é fundamental termos uma política sólida para o desenvolvimento da indústria nacional, que passa tanto pela criação de oportunidades de capacitação de profissionais, quanto pela possibilidade de financiamento de longo prazo na compra de máquinas e equipamentos e revisão de impostos”.

Avanços

Libardi mostra dados que reforçam que os dias tendem a ser melhores em breve para a economia, principalmente em se tratando de Piracicaba. “Segundo os números do boletim Simespi/Esalq, em Piracicaba, o complexo metal-mecânico apresentou em 2021 uma das maiores exportações, sendo responsável por quatro dos seis maiores valores de preço no porto, após o transporte, o FOB (Free On Board). Os números seguem a tendência nacional dos setores de Fabricação de Máquinas e Equipamentos e Metalurgia. O setor é ainda o segundo que mais empregou entre 2019 e 2020. Com um saldo de 4%”, apontou ele.

Na análise de Libardi, o pior momento já passou. Mas os reflexos estão presentes na nossa economia. “Além da guerra entre Rússia e Ucrânia, sem perspectiva de fim, ainda temos lockdown em regiões produtoras; e teremos eleições neste ano. Portanto, vivemos muitas incertezas. Por exemplo, a produção da indústria siderúrgica e metal-mecânica cresceu no segmento de bens de capital e caiu nos de bens intermediários e de consumo duráveis entre os meses de fevereiro e abril de 2022”, disse. 

Neste ano, o Simespi lançou, em parceria com a Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), o Boletim de Conjuntura Industrial do Setor Metal-Mecânico. “Ele tem nos trazido mês a mês um diagnóstico muito realista sobre a produção, exportação e mercado. Esse informativo mensal tem como proposta auxiliar as empresas associadas e seus gestores na tomada de decisões e estamos muito confiantes que possa ser realmente uma bússola que nos aponte os melhores caminhos”, comemora Libardi.

Assuntos Relacionados
Compartilhar
Gazeta de Piracicaba© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por