Últimas Notícias
Rio das Pedras
Preso por abuso sexual
Acusado trabalha em um projeto social da igreja católica; até o momento há cinco vítimas

Por Ana Cristina Andrade

Revoltados com a situação, eles pediam Justiça a todo instante

Crédito: Mateus Medeiros/Gazeta de Piracicaba

Revoltados com a situação, eles pediam Justiça a todo instante

Um homem de 60 anos, que presta serviço para uma instituição religiosa em Rio das Pedras, foi preso ontem à tarde pela Polícia Civil, acusado de abuso sexual contra pelo menos cinco crianças da comunidade local, com idades entre quatro e 12 anos. Quatro deles fazem parte de um inquérito policial instaurado em 2020.

A vítima mais recente é uma menina de seis anos que ontem, depois que já havia sido levada ao hospital, queixava-se de dores nas partes íntimas porque, segundo ela, o homem introduziu o dedo. Enquanto o pai conversava com a Gazeta, ela se aproximou e queixou-se que estava ardendo a vagina.

Uma declaração que deixou muita gente comovida. Por volta das 15h30, pais e familiares das vítimas se aglomeravam na porta da delegacia, revoltados e pedindo por Justiça. Foi necessário que a autoridade policial solicitasse apoio para a Guarda Municipal e Polícia Militar.

O pai da criança disse que está indignado com a situação. "Um cara desses tinha que estar morto. Um sem-vergonha que se aproveitava de crianças para abusar", desabafou. A mãe de outra vítima - uma menina de 12 anos - disse que a queixa de sua filha foi que o acusado passou as mãos em seu corpo.

"Ele se apresentava como uma pessoa boa, educada, respeitadora, mas, agora, se mostrou esse monstro. Eu quero Justiça. Se a Justiça não tomar conta eu tomo. Pode ser filho meu ou de outra pessoa. Não vou deixar barato".

Segundo apurou o delegado Mauro José Arthur, ele aproveitava que as mães chegavam ao local para buscar cestas básicas, e outros suprimentos, atraía as meninas para uma sala dos fundos - cômodo onde ele trabalhava - e abusava sexualmente.

O delegado disse que essa é uma situação delicada e, ao mesmo tempo, revoltante. "Eu, como profissional do Direito, como delegado de polícia, em 24 anos na ativa, nunca deparei com uma ocorrência de tamanha dimensão", declarou.

"Um senhor de 60 anos, de um órgão vinculado a uma entidade religiosa, que é para auxiliar as pessoas, ajudar as famílias carentes, aproveita-se da situação e abusa sexualmente de seres indefesos. Os familiares estão revoltados, mas temos que agir com a razão porque a lei tem que ser aplicada e também devemos obedecer todas as garantias do preso", acrescentou.

Acusado se defendeu

O preso comentou na delegacia que não foi procurar as crianças e sim elas foram atrás dele. Disse ainda que recusou durante quase um ano, mas que acabou cedendo.

Segundo o investigador Sidnei Panuci, que teve acesso às imagens do celular do acusado, foi possível ver que ele também costumava iniciar uma conversa com a vítima, pelo Facebook, com os dizeres "oi linda".

Após início da conversa, ele ganhava a confiança da criança e pedia seu número de telefone para adicioná-la no WhastApp. Ontem à noite, o delegado aguardava o Poder Judiciário expedir a prisão temporária do acusado, para recolhê-lo em uma cela.

Caso outras pessoas tenham sido vítimas dele, devem procurar a delegacia de Rio das Pedras durante a semana, em horário comercial, e formalizar a queixa.