Últimas Notícias
Transporte público
Movimento articulado
Pula-Catraca realiza hoje manifestação no TCI contra aumento da tarifa de ônibus

Por Romualdo Cruz Filho

Pula-Catraca faz protesto no Terminal Central de Integração hoje

Crédito: Mateus Medeiros/Gazeta de Piracicaba

Pula-Catraca faz protesto no Terminal Central de Integração hoje

O Movimento Pula-Catraca colocou um abaixo-assinado na rua e também na internet pedindo o cancelamento do aumento do valor da tarifa de ônibus, que começou a vigorar ontem, passando de R$ 4,80 para R$ 5,60, acréscimo de 16,7%. Inclusive, está marcado para hoje, no final da tarde, a primeira manifestação dos seus integrantes no Terminal Central de Integração (TCI) envolvendo várias entidades, tais como movimentos estudantis, sindicais, líderes comunitários etc.

O manifesto pede também a abertura de uma CPI para apurar como se deu o rompimento do contrato entre a empresa anterior, que terceirizava o sistema do serviço de transporte público (Via Ágil) e Prefeitura de Piracicaba, os repasses feitos pelas empresas que Via Ágil e Transacreana, bem como apure se houve irregularidade na substituição dos ônibus por veículos sucateados.

Conespi

O Conselho de Entidades Sindicais de Piracicaba (Conespi), representado pelo seu vice-presidente e presidente do Sindicato dos Bancários, José Antônio Fernandes Paiva, também entrou na briga e solicitou que a mesa diretora da Câmara articule uma reunião com o prefeito Luciano Almeida (Democratas) para tratar do assunto.

O ponto diferencial da análise do Conespi é que "não há nenhuma solicitação de reajuste por parte da empresa que hoje presta o serviço de transporte público em Piracicaba". Afirma, como conseqüência, que o aumento da tarifa foi uma "decisão unilateral" do prefeito Luciano Almeida. "Em Piracicaba o transporte coletivo é um serviço público com concessão ao setor privado. Porém, a prefeitura não pode querer ter custo zero, onerando seus usuários", destaca um trecho do ofício.

Gilmar Rotta (Cidadania), presidente da Casa, declarou que buscará diálogo com a secretária de Mobilidade Urbana, Trânsito e Transportes (Semuttran), Jane Franco Oliveira, e marcará reunião com o prefeito para encontrar uma solução que não onere os usuários do transporte público. "Estamos há dois anos em uma pandemia, o índice do desemprego na cidade está altíssimo. O aumento da tarifa de água, o aumento do IPTU e, agora, o aumento da tarifa do transporte público vai refletir na mesa do trabalhador", afirmou.

A prefeitura confirmou que está agendada para hoje uma reunião entre a Semuttran e o Conespi.