Últimas Notícias
Comércio
Varejões natalinos
Consumidor já encontra produtos típicos dessa época, que chegam a ser 25% mais baratos

Por José Ricardo Ferreira

Frutas da época estão à disposição do consumidor nos varejões da cidade

Crédito: Mateus Medeiros

Frutas da época estão à disposição do consumidor nos varejões da cidade

O consumidor piracicabano vai contar com atendimento especial nos 26 varejões distribuídos pela cidade em decorrência do período natalino, segundo a Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Sema). Já é possível encontrar frutas tradicionais para as ceias de Natal e Réveillon oferecidas por produtores locais com preços bastante acessíveis.

A Sema informou que haverá o tradicional Varejão Especial de Festas que ocorre há alguns anos no Varejão Municipal da Paulista, na avenida Dr. Paulo de Morais nos dias 22 e 29 de dezembro, quartas-feiras, das 14h às 19h30; 23 e 30 de dezembro, quintas-feiras, das 7h às 19h; 24 e 31 de dezembro, sextas-feiras, das 7h às 13h. Vendas

No período natalino de 2020 foram comercializadas aproximadamente 200 toneladas de alimentos nos varejões municipais. A secretaria projeta que devido ao aumento dos preços e a situação econômica do país, com alta da inflação, este número se mantenha, não tendo aumento.

Passam mensalmente pelos varejões cerca de 25 mil pessoas, segundo a Sema.

"Analisando os relatórios de controle da Sema, no período de janeiro a outubro de 2021 houve um aumento de 8% no volume de vendas, em comparação com o mesmo período de 2020", informou a secretária de Abastecimento Nancy Thame.

"Os varejões municipais foram criados para levar à população de Piracicaba e região produtos de qualidade com preço acessível, além de incentivar o pequeno produtor rural, que pode comercializar seus produtos direto ao consumidor", explicou ela.

De acordo com a secretária, nos varejões municipais o consumidor chega a economizar cerca de 25% em comparação com a iniciativa privada.

Segundo ela, semanalmente a equipe da secretaria faz a cotação de valores nos atacados (Entreposto Ceasa de São Paulo, Campinas e Piracicaba), em alguns produtores rurais e em supermercados e varejões privados, sempre as quartas e sextas-feiras, para acompanhamento da sazonalidade dos produtos.

A cotação é feita seguindo uma tabela de 30 produtos, usando como base a melhor classificação dos alimentos, ou seja, de tamanho padrão, de colheita vigorosa, sempre visando à qualidade e melhor preço ao consumidor, segundo a Sema.

"Os produtos cotados são diversas frutas nacionais e internacionais, legumes, verduras, tubérculos e cereais. A tabela com os preços é enviada aos permissionários dos varejões, para que sigam os valores pré-estabelecidos. Para garantir o cumprimento dos valores, os fiscais da Sema passam diariamente nas bancas para fazer a verificação", explicou Nancy Thame.

Ainda que haja a tabela de preços, os valores podem sofrer alteração sem aviso prévio, por conta de imprevistos climáticos, que podem interferir na disponibilidade de alguns produtos.

Permissionários

A Sema concede autorização atualmente para 170 permissionários. São 26 varejões municipais, seis feiras-livres e o Mercado Municipal, coordenado pela secretaria. "Neste momento não temos previsão de abertura de novos varejões", disse a secretária.

Nos varejões municipais a população tem à disposição não apenas a tradicional linha de hortifrutigranjeiros (legumes, verduras, frutas nacionais e importadas, cereais, tubérculos, milho-verde e derivados), mas também frios e laticínios, ovos, aves, pescados, além da disputada praça de alimentação com pastel e caldo de cana.

"A Sema trabalha para que o cliente seja bem atendido em todos os varejões, podendo ir no horário de sua conveniência, desde que dentro do horário de funcionamento dos espaços. Neste Especial de Festas, o público também terá a disposição alimentos em alta nesta época natalina, como abacaxi, melancia, melão, pêssego, uvas, ameixas, lichia, morango, tâmaras, cerejas, entre outros", explicou Nancy Thame.

"Os varejões são um espaço fundamental para ofertar à população um alimento de qualidade, com preço justo, o que promove a alimentação adequada e saudável e é um importante instrumento de garantia da segurança alimentar e nutricional", apontou a secretária.

A Sema, disse ela, tem trabalhado em importantes projetos que buscam, entre outros, a melhoria e aprimoramento da agricultura e produção local de alimentos, como o produção de um selo de produtos alimentícios locais; a construção da Cozinha Experimental, que busca trazer cursos e capacitações; o desenvolvimento de um programa de gestão de resíduos dos varejões municipais. "Além do esforço constante para manutenção e melhoria destes espaços", explicou a secretária.