Últimas Notícias
Eleição
Cidadania Italiana
Cerca de 500 piracicabanos podem votar para o Comitê dos Italianos no Exterior

Por Romualdo Cruz Filho

Agente consular mostra as regras das eleições para a composição dos Comitati

Crédito: Mateus Medeiros/Gazeta de Piracicaba

Agente consular mostra as regras das eleições para a composição dos Comitati

Piracicaba conta com cerca de 5.000 italianos e descendentes de italianos que poderiam votar nas eleições deste ano para a composição dos Comitati degli italiani all'estero (Com.It.Es) ou Comitê dos Italianos no Exterior (Comitês), que começaram no último dia e vai até o dia 3/12. No entanto, apenas 500, aproximadamente, estão em dia com os Anagrafe degli Italiani Residenti all'Estero (AIRE) - uma espécie de pasta no consulado onde são registrados os dados dos cadastrados -, o que os habilitaria para participar do pleito. Ou seja, somente 10% desse público mantêm atualizados os dados que lhes garantem a atuação como ítalos-brasileiros de fato. A grande maioria não se atenta para esse detalhe e, mesmo com o direito, não pode exercê-lo.

De acordo com Juliano Meneghel Dorizotto, que é candidato à reeleição pela chapa Democratici in Brasile (DIB), "temos várias entidades representativas em Piracicaba, como a Societá Italiana, Circolo Trentino di Piracicaba, Circolo Trentino di Santa Olímpia, que preservam e fomentam a cultura e as tradições italianas, estreitando os laços com o país dos seus ancestrais". E o Comitê trata de questões que dizem respeito exatamente ao desenvolvimento da vida social e cultural, assistência social e escolar e formação profissional das pessoas com a cidadania, a fim de preservar a memória histórica da imigração italiana, dar o apoio possível e fortalecer o vínculo entre o Brasil e a Itália.

"A participação de todos os Cidadãos Italianos é de suma importância para demonstrarmos à Itália que participamos e exigimos melhores tratamentos quando procuramos pelos serviços no Consulado Geral da Itália em São Paulo e ou Eventos que venham para Brasil e também para o nosso rico interior com a maior representação de italianidade de todo o país", observa Juliano.

O Comitê faz essa ponte como órgão em que os eleitos que o compõem representam os cidadãos italianos que moram no exterior. São porta-vozes sobre as necessidades sociais, culturais e civis da coletividade italiana. Calicchio Grazio, Agente Consular da região de Piracicaba, explica que há cinco chapas concorrendo, com 20 nomes cada. O eleitor escolhe a sigla da chapa e seis pessoas que a compõem.

Segundo Grazio, o Comitê pode apresentar projetos de leis para o senado italiano e ajudar o consulado geral na solução de problemas da comunidade que representam. "Eles podem participar inclusive de plebiscitos para resolver problemas relativos à constituição italiana, além de votar em deputados e senadores daquele país". Ele explica ainda que, para votar, o eleitor recebe a cédula e um formulário, que devem ser preenchidos adequadamente e enviados em um envelope pré-pago ao consulado de São Paulo. "Esse envelope deve chegar ao consulado italiano em São Paulo até o último dia da eleição, senão o voto é invalidado", explicou.

O agente consular orienta para que as pessoas com cidadania italiana podem atualizar seus dados no AIRE via online. No entanto, todos os dados são checados pelo consulado e pelas prefeituras de origem dos seus familiares italianos. A atualização completa demora cerca de 180 dias. "O município italiano de origem tem que confirmar as informações para que a atualização seja feita e legalizada, porque é o município que dá a ele o direito ao voto".

No caso do Brasil existem sete Comitês: São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre. Ao todo, são eleitos 16 conselheiros que exercem trabalho voluntário, sem remuneração.