Últimas Notícias
Só faltava voar
Um ‘avião’ no quintal
Motorista de ônibus, Celio Batista, morador em Rio das Pedras, construiu um protótipo de 150kg

Por José Ricardo Ferreira

O protótipo de avião fica no quintal do motorista Célio, em Rio das Pedras

Crédito: Mateus Madeiros/Gazeta de Piracicaba

O protótipo de avião fica no quintal do motorista Célio, em Rio das Pedras

Construir um protótipo de avião era o sonho do motorista Celio Dias Batista, de 43 anos, morador em Rio das Pedras. A ideia estava adormecida por algum tempo, mas ele nunca perdeu o foco e no começo deste ano deu início ao desafio.

Criativo, Celio conta como tudo aconteceu. "Veio a ideia na cabeça, fiz alguns riscos e comecei a construção. Comecei a montar o avião no mês de março deste ano. Demorei aproximadamente cinco meses para construí-lo", contou, orgulhoso, o motorista.

Ele disse que investiu cerca de R$ 2 mil no projeto. O avião está "estacionado" em seu quintal. Com muito desígnio, ele usou madeiras, aros de bicicleta, tambores plásticos e ferros para montar a estrutura do protótipo. "Sou apaixonado por grandes aviões, tipo modelos da Boeing", disse ele, referindo-se às aeronaves fabricadas pela multinacional norte-americana.

O protótipo de avião tem 4,70m de comprimento, 3,8m de envergadura e pesa cerca de 150 quilos. Embora não deseje um dia ser piloto a vontade de viajar "de avião" é imensa, inclusive está nos planos em breve viajar com a família para Maceió (AL).

Exposições

Ele pretende usar o protótipo de avião em exposições. Em sua ideia, seria interessante para pessoas que gostam de aviação.

O motorista de ônibus urbano pretende construir mais aeronaves a partir de janeiro. "Já estou planejando fazer mais dois protótipos de helicóptero e um avião Legacy pequeno de uns dois metros", contou ele. A esposa e o filho o apoiam em todos os projetos, segundo ele.

Indagado se conhecia Santos Dumont, o "pai da aviação", Celio disse que pesquisou fotos e alguns vídeos no YouTube. "Foi um gênio".

Natural de Ribeira, interior de São Paulo, Celio mora em Rio das Pedras há 25 anos. Antes de assumir o volante dos ônibus trabalhou como metalúrgico por quase 20 anos. Celio tem curso de projetista industrial pelo Senai, o que o ajudou a montar o protótipo.

"Sempre gostei de riscar no papel desenhos de avião, helicópteros, mas como hobby. Um dia decidi tornar o desenho uma realidade", disse ele.

Celio conta que gosta de mexer com marcenaria nas horas vagas e já fez vários bancos de madeira também. "Desperta o interesse em fazer e começo sem projeto; só na 'cabeça' mesmo. Aí coloco no papel para registrar".

O protótipo de avião de Celio vai ganhar ainda turbinas e ficar mais atrativo, segundo promete ele.

O que é prototipagem

Se engana quem imagina que os protótipos são apenas um hobby. O site dinamicaengjr.com.br explica bem o que é a prototipagem.

"Para realizar uma prototipagem, pode-se utilizar diversas ferramentas, desde um lápis e uma folha de papel ou um pedaço de cartolina até sofisticados aplicativos e softwares computacionais. Com base nas informações disponíveis em sitemaps, wireframes, em dados de pesquisa e nos valores da sua persona, comece a pensar em possíveis maneiras de resolver os problemas que ela apresenta. O importante é fazer com que suas ideias, mesmo após várias tentativas sem êxito, se transformem em elementos com os quais seja possível interagir", segundo descreve o site de engenharia.

Inovar na construção de um avião, por exemplo, passa pela prototipagem.

O North American X-15, por exemplo, trata-se da aeronave mais veloz do mundo existente até hoje, capaz de alcançar uma marca de 7.273 quilômetros por hora. "Mas o que o X-15 tem a ver com a criação de protótipos? A resposta é: tudo. Para que esse avião deixasse de ser uma ideia e se tornasse um produto, não bastou apenas um passe de mágica. Ele teve que passar por inúmeros processos de testes e etapas experimentais a fim de que sua estrutura e demais propriedades garantissem, além de outros aspectos, performance, segurança e potência desejadas", explica o site. "Até que o modelo real do X-15 fosse lançado, inicialmente foram elaborados modelos mais simplificados que permitissem a identificação de possíveis problemas e melhorias a serem implementadas. Esses modelos criados como objetos de testes são o que denominamos de protótipos".