Últimas Notícias
Economia
Esquenta Black
Black Friday antecipado movimenta comércio com criatividade nas vendas

Por Romualdo Cruz Filho

Comércio se recria com Esquenta Black para garantir vendas durante o mês

Crédito: Mateus Medeiros/Gazeta de Piracicaba

Comércio se recria com Esquenta Black para garantir vendas durante o mês

O mês de novembro tem desafiado a criatividade dos comerciantes. A Black Friday, que acontece nos dias 26 e 27 (sexta e sábado), provoca, de fato, um boom nas vendas do varejo, que chega a crescer cerca de 30% no mês, de acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Comerciários, Antonio Roberto Previde.

No entanto, nas semanas que o antecedem as datas em que são esperadas as grandes liquidações, o movimento nas lojas, para a efetuação da compra, despenca para muitos setores. A explicação é simples.

Os consumidores decidem que vale a pena esperar até o final do mês para conseguir superdescontos. Por outro lado, para os lojistas, a planilha de vendas entra em sinal de alerta logo no início do mês, causando sérias preocupações inclusive sobre a vantagem da Black Friday.

Para não sofrer a síndrome da espera pelos dias 26 e 27, os comerciantes criaram então o Esquenta Black. Assim, realizam promoções especiais e pontuais de produtos ao longo de todo o mês, com descontos de até 40%, e fecham o balanço do período no positivo, sem o gap da queda das vendas. A adesão ao movimento vai crescendo ao longo do mês, conforme se espalha a notícia de bons resultados obtidos com a iniciativa.

Alessandro Silva, gerente de uma loja de móveis e eletrodométicos, na Governador, explicou que é fundamental iniciar o mês de novembro com promoções do Esquenta Black para garantir o volume de vendas. "Fazemos ofertas relâmpagos ou de até 48 horas com produtos específicos e descontos especiais, dentro da filosofia do Black Friday, para que o consumidor veja de fato vantagem em antecipar suas compras. Sendo assim, colocamos em destaque duas promoções por semana e evitamos o buraco na nossa planilha de vendas do mês. Produtos de ventilação estão nessa estratégia. Os climatizadores, por exemplo, já foram todos vendidos".

Com essa proposta, a loja consegue também colocar produtos que estão para sair de linha com preços muito convidativos, de até 60% de desconto. "Essa estratégia nos permite fechar novembro com vendas de até 15% acima da média, o que seria muito difícil sem o Esquenta Black", explicou.

Joyce Claro, gestora de uma grande Magazine, também na Governador, segue a mesma linha. "Muita gente vem antes para ver se os produtos durante a Black Friday estarão de fato mais baratos. Então colocamos produtos específicos ao longo do mês com descontos de Black Friday para atrair esses fregueses no Esquenta Black, garantindo assim que não fazemos propaganda enganosa antecipando as vendas das datas. Há produtos de promoção relâmpago com descontos de até 40% válidos apenas para o Esquenta Black, uma vez que esses mesmos produtos poderão estar com seus preços normais nos dias 26 e 27", afirma.

Boa parcela das lojas do setor de ótica do centro da cidade já está a todo vapor no Esquenta Black. As redes determinam que suas filiais comecem as campanhas antecipadamente para fazer também a média de vendas do mês sem sobressaltos. Uma loja de Departamento, por sua vez, prefere manter a tradição da Black Friday e reserva as etiquetas de promoção somente para as datas específicas. Isso porque o setor de vestuários populares não sofre oscilação brusca nas vendas do mês.

Sua estratégia é manter em cada setor Salinha de REmarcados, em que o consumiodr pode encontrar produtos com preços especiais ao longo de todo o ano.

Sindicato dos Comerciários

O vice-presidente do Sindicato dos Comerciários, Roberto Previde, disse que a Black Friday na cidade perdeu um pouco de sua característica com o Esquenta Black. "Isso pode fazer com que muitos consumidores não acreditem mais na vantagem de se comprar nos dias específicos das grandes promoções". Mesmo assim ele vê com bons olhos a criatividade dos lojistas, "porque o mais importante é atrair o consumidor e garantir o mercado aquecido e com potencial de gerar emprego e renda".