Últimas Notícias
Educação
Escola temporária para crianças de Ártemis
Chácara, a 200 metros da escola Deolinda Elias Cenedese, deve ser o destino dos 275 alunos até conclusão de obras

Por Larissa Souza

Escola passará por obras no telhado e na parte interna

Crédito: Mateus Medeiros

Escola passará por obras no telhado e na parte interna

A Secretaria Municipal de Educação está finalizando os trâmites para conseguir um novo espaço temporário para os alunos do jardim da Escola Estadual Municipal de Educação Infantil Deolinda Elias Cenedese, em Ártemis. De acordo com o vereador Josef Borges, que esteve em reunião com o secretário de Educação, Gabriel Ferrato, e o prefeito Luciano Almeida na última segunda-feira (1), o local deve estar disponível entre 10 e 15 dias. "Acredito que fique pronto até antes", comentou o parlamentar.

Trata-se de uma chácara localizada a aproximadamente 200 metros da escola. Nela, serão ministradas aulas para os alunos que tem entre 4 e 5 anos, enquanto os outros voltarão a estudar no berçário. O espaço foi alocado para que a escola consiga receber todos os seus 275 alunos até que as obras no telhado e na parte interna da escola sejam concluídas.

Em agosto de 2020, a prefeitura abriu licitação para o conserto do telhado da instituição que, segundo Borges, estava danificado há quase 10 anos. A empresa vencedora iniciou os trabalhos na área em outubro, mas em razão de problemas financeiros decidiu paralisá-los.

Quando a empresa abandonou a obra, em meados de fevereiro de 2021, somente cerca de 15% do telhado estava pronto, o que fez com que todo o espaço ficasse exposto.

Em avaliação, a prefeitura também verificou que havia outros problemas na obra e resolveu abrir uma sindicância.

Como a Secretaria Municipal de Educação não conseguiu fazer um acordo amigável com a empresa, o caso foi judicializado e ainda está em tramitação. Enquanto ele não for julgado, a prefeitura não pode abrir um novo processo licitatório para a reforma do telhado e da parte atingida.

Quando as escolas municipais começaram a receber seus alunos em revezamento, a Escola Estadual Municipal de Educação Infantil Deolinda Elias Cenedese retomou as aulas dos alunos de 4 a 5 no modelo presencial, utilizando o berçário, que não foi danificado.

No momento, esses alunos continuam cursando as aulas em revezamento, enquanto os de zero a três anos estão ainda em casa.

A situação criou dificuldades para as mães, já que muitas trabalham fora e não têm com quem deixar as crianças.

Esse é o caso da coordenadora administrativa Edenise Konig. Ela precisou contratar uma babá para ficar com seu filho, que tem três anos, enquanto trabalha. "Seria um valor que a gente usaria para outras coisas. Eu praticamente estou usando metade do meu salário para isso", comentou.

A mãe Letícia Caroba da Silva, que tem um filho matriculado no jardim 1 e outro no maternal 2, O parlamentar, que foi responsável por encontrar a chácara, reitera que ela passou por reformas para receber as crianças, é segura e até maior que a escola.

Segundo ele, a medida foi necessária para dar suporte para esses estudantes, enquanto a prefeitura não consegue abrir nova licitação. "Essas mães poderão, enfim, ter tranquilidade para trabalhar e as crianças poderão voltar ao convívio escolar", comentou.