Últimas Notícias
Finados
Cemitérios estão abertos para receber visitantes
Cerca de 20 mil pessoas já passaram pelo cemitério da Saudade entre sábado e ontem

Por Da redação

Cemitérios começaram a receber fluxo maior de pessoas desde sábado

Crédito: Mateus Medeiros

Cemitérios começaram a receber fluxo maior de pessoas desde sábado

As pessoas que costumam visitar o túmulo de seus entes queridos no Dia de Finados, celebrado hoje, começaram a prestar suas homenagens no último sábado (30). No Saudade, de acordo com o responsável pela administração, Maurício Angelocci, aproximadamente 35% do público esperado, que é de cerca de 20 mil, já passou pelo cemitério entre sábado e ontem.

Ontem, a movimentação de dentro e fora naquele cemitério foi maior no período da manhã. Por volta das 10h, havia muitas pessoas espalhadas pelas ruas do cemitério, muitas com velas e flores. Neste horário, dois comerciantes também vendiam flores em frente à entrada principal do Saudade, em barracas. O movimento era tão intenso que não tinha lugar vago no estacionamento.

Também, durante a manhã, era possível ver sepulturas sendo limpas. Algumas famílias criticaram a situação da área interna do cemitério que, segundo elas, está "abandonada". A principal reclamação foi referente ao mato alto.

Já no período da tarde, o número de visitantes foi menor. Havia somente uma comerciante vendendo vasos de flores, que estavam sobre uma pequena mesa ao lado do portão do cemitério, que fica na avenida Independência.

O aposentado Arnaldo Gutierrez contou que vai até o cemitério todos os anos com a sua esposa para levar flores para seu pai, irmão, tio, tia e avós. "Achamos importante trazer uma flor, fazer uma oração, homenagear a memória dos mortos", comentou.

Os cemitérios da Saudade, Vila Rezende e Ibitiruna permanecerão abertos no período das 7h às 18h. Já o Parque da Ressurreição funcionará das 6h às 18h.

Vasos sem furo

Em vistoria realizada nos cemitérios da cidade na última semana, o Programa Municipal de Combate ao Aedes (PMCA) encontrou, nos municipais, cerca de 65 vasos de flores com plásticos ou sem furos no fundo. A ação teve o objetivo de procurar possíveis criadouros do mosquito Aedes Aegypti, responsável pela transmissão de doenças como dengue, zika e chikungunya, além de preparar o espaço para o Dia de Finados.

De acordo com o PMCA, foram encontrados aproximadamente 15 vasos com plástico ou sem furos no fundo no Cemitério Vila Rezende e cerca de 50 no Cemitério da Saudade. No Parque da Ressurreição não foram encontrados vasos nessas condições.

O coordenador do programa, Sebastião Amaral Campos, avalia que, de forma geral, "pode-se considerar que a situação dos cemitérios está sob controle, em relação a possíveis criadouros do mosquito Aedes Aegypti". "Nós fizemos a retirada dos possíveis criadouros nos quais verificamos e colocamos larvicida para evitar a proliferação do mosquito", informou. "Para amanhã, orientamos que a população não leve vasos que são acobertados por plásticos. Além disso, é importante que os vasos e pratos apresentam furos no fundo", complementa.