Últimas Notícias
Copa Paulista
XV é desclassificado nos pênaltis
O jogo foi para os pênaltis no Barão e deu São Caetano, que venceu por 4 a 3

Por José Ricardo Ferreira

O primeiro tempo terminou com o XV com posse de bola e bem postado

Crédito: Michel Lambstein/Divulgação

O primeiro tempo terminou com o XV com posse de bola e bem postado

No reencontro com a torcida, XV de Piracicaba e São Caetano repetiram o placar de 1 a 1 no jogo de ida no ABC pelas quartas de final da Copa Paulista. Ontem, Paraíba fez para o XV aos 32’ do 1º tempo e Rato empatou aos 50’ do 2º tempo para o Azulão. O jogo foi para os pênaltis no estádio Barão da Serra Negra e deu São Caetano que venceu por 4 a 3 e se classificou para as semifinais. Alguns torcedores, irritados, invadiram o campo, mas foram contidos pelo policiamento.

A revanche, como queria a torcida, não ocorreu. Na decisão do mesmo torneio em 2019 o Azulão levou a melhor também. O público foi de 1.519 torcedores com uma renda de R$ 39,2 mil. O ano acabou para o XV.

O time começou com intensidade com Franklin e Parrudo perto de fzerem, mas o goleiro Luiz defendeu seus chutes. Aos 24’ Carlos Alberto surgiu pela direita e arrematou para defesa de Luiz. O gol estava amadurecendo e o XV abriu o marcador aos 32’ com o volante Paraíba. Ele aproveitou o rebote da defesa e soltou uma bomba abrindo o marcador: 1x0.

O XV continuou sufocando o São Caetano e aos 38’ Lúcio Flávio quase ampliou.

O São Caetano só chegou aos 40’ e na primeira finalização Ruan bateu rasteiro e exigiu que Belliato mandasse a bola para escanteio.

O primeiro tempo terminou com o XV com posse de bola e bem postado no seu sistema defensivo e, o mais importante, vencendo o jogo.

O Alvinegro de Luciano Dias voltou sem alterações para a etapa final. Precisando reagir, o Azulão começou pressionando o XV. Aos 8’ o Azulão chegou com Marcelinho batendo com direção e Franklin desviando para escanteio. Na sequência, o gol do Azulão saiu, mas Portuga estava impedido, apitou a arbitragem que precisou, porém, do VAR, que confirmou a anulação após dois minutos.

Diferente do primeiro tempo, o time do ABC do técnico Max Sandro estava mais presente.

Preocupado com a marcação o técnico Luciano Dias fez três substituições aos 21’: Lúcio Flávio, Léo Ceará e Parrudo deram espaço para Ítalo, Lucas de Sá e Gustavo Hebling, respectivamente. Aos 26’ houve troca de atacantes entrando Matheus Martins no lugar de Franklin. Aos 29’ Matheus Martins na sua primeira jogada surgiu na cara do gol, mas desperdiçou a chance de fazer.

A partida começava a ficar dramática para os dois times. De um lado o XV procurando matar o jogo num contra-ataque; do outro, o Azulão buscando igualar o marcador. Percebendo o XV sob apuros, a torcida alvinegra não parava de apoiá-lo. Aos 33’ o XV apareceu com Lucas de Sá batendo perigosamente sobre o gol de Luiz.

Lesionado, Paraíba saiu para Fraga entrar no meio de campo quinzista. Aos 43’ Mauricio Ramos surgiu na defesa adversária e testou para quase marcar para o XV. Nos minutos finais o XV foi castigado, como em outras jornadas, e nos descontos, aos 50’, após cruzamento de Josué o jogador Rato bateu e empatou para o Azulão: 1x1 e silêncio no Barão.

Nos pênaltis marcaram para o XV Matheus Martins, Ítalo e Lucas de Sá; erraram Weriton e Carlos Alberto; Belliato defendeu o chute de Max. No São Caetano marcaram Portuga, Rato, Petrolina e Damasceno; Max errou. Luiz defendeu o chute Weriton.

O XV jogou com Belliato, Weriton, Rodrigo Sam, Maurício Ramos, Kaike, Parrudo (Gustavo Hebling), Paraíba (Fraga), Léo Ceará (Lucas de Sá), Carlos Alberto, Franklin (Matheus Martins) e Lúcio Flávio (Ítalo).