Últimas Notícias
Covid-19
Piracicaba atinge 70% da população vacinada
Município está há 12 dias sem registrar óbito por Covid-19

Por Da redação

Mais de 288 mil segundas doses ou doses únicas já foram aplicadas

Crédito: Mateus Medeiros

Mais de 288 mil segundas doses ou doses únicas já foram aplicadas

Com mais de 288 mil segundas doses ou doses únicas aplicadas, Piracicaba chegou à marca de 70% da população com o sistema vacinal completo. A Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), aplicou 278.092 segundas doses e 10.727 doses únicas até  segunda-feira (25), conforme o Vacinômetro do Governo do Estado.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Piracicaba tem 410.275 habitantes. Também hoje, o município chegou à marca de 12 dias sem registrar óbitos pela Covid-19.

No total, em Piracicaba já foram aplicadas 636.378 doses, sendo 329.955 primeiras doses, atingindo pessoas com 12 anos ou mais, e 17.604, entre pessoas com 60 anos ou mais e profissionais da saúde que já tomaram a 2ª dose ou dose única há, pelo menos, seis meses, e pessoas imunossuprimidas que já tomaram a 2ª dose ou dose única há, pelo menos, 28 dias.

“Chegar a 70% da população vacinada e observar que nossos índices de internações em UTI e enfermaria por Covid-19 estão baixos e, em especial, que estamos há 12 dias consecutivos sem registrar nenhum óbito por essa doença mostra que estamos no caminho certo para superar esse momento tão difícil. Então, se já chegou a hora de você tomar a 2ª dose, não perca tempo e faça o agendamento no VacinaPira. Falta pouco”, enfatiza o prefeito Luciano Almeida.

Para o secretário de Saúde, Filemon Silvano, essa marca significa esperança e é reflexo de um trabalho árduo. “Estamos vendo a cada dia mais esperança de controlar essa pandemia e, com certeza, reflete a dedicação incansável dos nossos profissionais da saúde tanto na linha de frente nos hospitais, há quase dois anos, quanto diariamente, desde janeiro deste ano, fazendo chegar cada dose da vacina nos braços dos piracicabanos”, comenta Filemon.

O diretor do Centro de Vigilância em Saúde, Moisés Taglietta, lembra que, no início do processo de vacinação, os cientistas, a partir de cálculos matemáticos, afirmavam que vacinar com as duas doses 70% da população seria suficiente para controlar a pandemia. Mas o surgimento de novas variantes, como a Delta, fizeram esse percentual aumentar, uma vez que elas podem mudar o índice de eficácia das vacinas. Porém, ainda assim, Taglietta pontua que atingir essa marca é motivo para celebrar, mantendo, claro, todos os cuidados.

“Vale lembrar que nenhuma vacina tem 100% de eficácia e que, por isso, a vacinação é um ato de proteção coletiva, pois, com mais pessoas vacinadas, criamos barreiras de proteção e conseguimos diminuir a transmissão do vírus, assim como diminuir a probabilidade do desenvolvimento de quadros graves da doença e, em especial, a mortalidade”, explica Taglietta. “É um número para se comemorar, e bastante, mas não se pode deixar de tomar todos os cuidados, como manter o distanciamento social, a higienização das mãos e o uso de máscaras”, enfatiza.