Últimas Notícias
Carrapatos
Ação para conter infestação começa no Parque da Rua do Porto
Local ficará fechado por 90 dias, prorrogáveis, caso seja necessário

Por Da redação

Parque da Rua do Porto ficará fechado por 90 dias

Crédito: Divulgação

Parque da Rua do Porto ficará fechado por 90 dias

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), inicia na próxima segunda-feira (18) um projeto-piloto de manejo em locais com alto grau de incidência de carrapatos, com aplicação de carrapaticida biológico para seu controle.

O projeto começará pelo Parque da Rua do Porto, que ficará fechado ao público, a partir do dia 18, por 90 dias, prorrogáveis, caso seja necessário. Uma das espécies de carrapato, o carrapato-estrela, que tem como hospedeiro a capivara, é responsável por transmitir a febre maculosa, doença que pode levar à morte (leia abaixo).

A escolha do local, em detrimento de outras áreas, foi feita porque o parque é fechado, conforme explica o titular da Sedema, Alex Gama Salvaia.

“Escolhemos o Parque da Rua do Porto por ser um local fechado e, com o fechamento dos portões, teremos certeza do resultado do teste, diferente de outras áreas de espaço aberto, como a avenida Renato Vagner ou Cruzeiro do Sul. O prazo de fechamento é sujeito à continuidade, sendo prorrogado até que possamos solucionar os problemas. Se houver sucesso no teste, a intenção é replicar no município todo”, reforça o secretário.

Prevenção

A febre maculosa é uma doença transmitida por uma bactéria, por meio da picada do carrapato-estrela. A doença tem alto índice de letalidade se não for diagnosticada há tempo. É própria do carrapato e é replicada pelo hospedeiro. O carrapato transmite a bactéria e assim outros carrapatos são contaminados e estes podem contaminar outros animais ou o homem.

O hospedeiro primário do carrapato estrela é a capivara, muito encontrada em margens de rios, córregos e lagoas. Em Piracicaba estas áreas de maior risco de incidência estão todas devidamente identificadas para que os visitantes tenham consciência do risco. Toda extensão da margem do rio Piracicaba, desde o bairro Monte Alegre até Artemis; as margens do Piracicamirim; a lagoa do Santa Rita e a margem do rio Corumbataí são áreas consideradas críticas.

Por isso, se a população for pescar ou fazer um piquenique nestes locais é fundamental saber que há um risco e que há alguns cuidados importantes de serem tomados antes, durante e depois da visita ao local. Ir devidamente trajada, com meia fora da calça, se possível com fechamento com fita adesiva é uma dica importante. Após frequentar o local é importante fazer uma varredura para verificar se algum carrapato grudou no corpo e retirar imediatamente, já que o carrapato, para transmitir a doença, deve ficar pelo menos quatro horas fixado no corpo.

Outro cuidado importante é ficar atento, entre 2 a 14 dias, a sintomas que podem ser indícios da doença, como febre alta, dor no corpo, dor da cabeça, inapetência, desânimo e pequenas manchas avermelhadas pelo corpo. Caso eles ocorram, procurar um médico imediatamente e relatar a visita a estes locais. Além da capivara, as pessoas devem tomar cuidado também com o contato com cavalos, que também são hospedeiros do carrapato.