Últimas Notícias
Ensino
Os novos desafios
Durante a pandemia de Covid-19 professores precisaram reestruturar o modelo de aprendizado para os alunos

Por Larissa Souza

 Patrícia Cláudia Silva de Lucca é professora de português

Crédito: Mateus Medeiros

Patrícia Cláudia Silva de Lucca é professora de português

Adaptar-se a um novo modelo de ensino em um curto período de tempo é uma tarefa difícil. A pandemia de Covid-19 impôs esse desafio para os professores, que precisaram reestruturar o modelo de aprendizado e unir forças para conseguir transmitir para os alunos todo o conteúdo previsto no ano letivo.

Na Escola Estadual Sud Mennucci, isso ocorreu, primeiro, por um levantamento feito logo no início da pandemia com o intuito de identificar os alunos que precisavam utilizar materiais impressos, por não ter acesso às ferramentas tecnológicas.

De forma voluntária, os docentes também se dispuseram a comparecer na escola, com o apoio da equipe gestora, para entregar material didático e cadernos para esses estudantes, incluindo materiais adaptados para os alunos com necessidades especiais. “Os que não dispunham de equipamentos tecnológicos levavam conteúdo e atividades para casa, resolviam e podiam elencar as dúvidas e dificuldades para serem trabalhadas em momentos posteriores”, contou Frederico Bandeira, professor de sociologia na instituição.

Manter contato com os alunos a distância também foi uma experiência desafiadora para as escolas. Esse obstáculo foi enfrentado pela Escola Estadual Comendador Luciano Guidotti por meio da mobilização de toda a equipe escolar, com o envio de mensagens nas redes sociais e também ligações telefônicas, já que nem todos os alunos têm acesso à internet. “A coordenação pedagógica teve o cuidado de incorporar a tecnologia de forma que contemplasse a realidade da comunidade escolar”, comentou Mariane Sanjuan Nalin Kadri, professora coordenadora-geral da escola.

Durante a pandemia, os professores também tiveram que adquirir novos conhecimentos sobre as ferramentas digitais voltadas ao ensino a distância, já que elas tornaram-se as principais mediadoras da conexão entre professor e aluno.

A professora Patrícia Cláudia Silva de Lucca, que leciona português para as turmas do 5º ano da Escola Estadual Honorato Faustino, explicou que foi um processo desafiador, repleto de entraves pedagógicos.

Segundo ela, os professores da escola têm diferentes níveis de conhecimento a respeito da tecnologia, mas a cooperação e integração dos colegas possibilitaram que todos conseguissem aprender o necessário para atuar no modelo EAD. “Aquelas que tinham maior intimidade com a máquina tornaram-se tutoras das colegas e foi possível atingir os alunos com estratégias diversas”, falou.