Últimas Notícias
Jardim Brasília
Praça é revitalizada por moradores
Ação entre vizinhos recupera a vida do local e o torna mais seguro

Por Romualdo Cruz Filho

Eu, meu marido e minha filha preparamos um projeto bem simples

Crédito: Mateus Medeiros

Eu, meu marido e minha filha preparamos um projeto bem simples", conta Dany

Uma praça construída pela prefeitura em 2007 para unir a comunidade do Jardim Brasília e criar espaço para a diversão das crianças acabou se tornando uma tremenda dor de cabeça para os pais, especialmente moradores das proximidades da rua Miguel Antonio Gonçalves, na altura do número 225.

Uma obra metálica em forma de árvore, construída no meio do jardim para comemorações natalinas, tornou-se base para o mato proliferar e, assim, criar um esconderijo seguro para traficantes e drogados.

"Sem corte do mato, a própria praça se tornou um verdadeiro esconderijo para os maus intencionados e a situação social só se complicava. Não tínhamos mais paz", recorda Daniela Maria Geraldo Guimarães, que mora em frente à praça há 18 anos.

Mas o lado bacana da história é a iniciativa de Daniela e seu marido Evandro. Eles chegaram à seguinte conclusão: "Se o local se tornou propício para o refúgio de moradores de rua e traficantes, porque está abandonado, temos que tornar o local bonito e alegre, para espantar essa turma problema e atrair famílias e crianças para a praça, como era antes".

Perceberam que não adiantava mais chamar a guarda civil, o que era recorrente, mas sim, deveriam mobilizar a comunidade e dar vida ao lugar, eliminando os fatores que perturbavam o ambiente. Foi o que fizeram.

"Eu, meu marido e minha filha preparamos um projeto bem simples. Começamos no domingo de 7 de setembro. Cortamos o mato, pintamos os brinquedos e, aos poucos fomos incrementando. Criei novas brincadeiras para as crianças, como amarelinha e jogos e sinalizamos o espaço. Tiramos a estrutura que estava no meio do jardim e transformamos a área em uma piscina de areia, cercada por pneus coloridos.

E o parquinho de areia está fazendo o maior sucesso. O pessoal começou a elogiar e começaram os comentários positivos. Foi tudo muito rápido. Conquistamos a simpatia de todos. Hoje, não há mais lugar para a turma do mal e as famílias voltaram. No final da tarde a praça lota novamente e a criançada se diverte até o início da noite", contou Dany, toda feliz com o resultado.

Neste domingo (03/10), das 16h às 18 horas, haverá festa na praça em comemoração ao Dia das Crianças. A vizinhança decidiu que seria um momento oportuno para comemorar também a reconquista do local. Partilharam os custos do evento, onde terá distribuído pipoca, sorvete, algodão doce, entre outras guloseimas, terá pula-pula e diversões diversas. "Incrível, a presença e a união das famílias espantou as pessoas com má intenção e a praça voltou a ser local de vivência. Acabei gostando de mais do projeto por ver a alegria dos vizinhos", enfatiza Dany.

Atitude exemplar

"Sempre foi uma praça bem iluminada, mas sem as intervenções, era um local morto. Todo dia passo por lá. Fomos mudando e arrumando o jardim. Comprei tinta e areia com o meu próprio dinheiro. Uma amiga que trabalha com paisagismo perguntou se eu não teria interesse de me tornar responsável pelo local, uma vez que tenho um salão de beleza bem em frente. A ideia é que haja alguém atuante e que não deixe a peteca cair. Quem sabe minha empresa assuma essa função oficialmente um dia, mas vamos tocando com a colaboração espontanea de todos os vizinhos, que eu acho bem mais interessante, uma vez que não tenho interesse pessoal nisso que estamos fazendo. Apenas colaboro porque também tenho filha pequena e quero ajudar na qualidade de vida do bairro", detalhou.

Dany observa que gostaria que a iniciativa de sua família e de seus vizinhos fosse um exemplo para outros bairros. "Se todo mundo pensasse nisso e fizesse alguma coisa, a cidade seria melhor e mais segura. Porque a ocasião faz o ladrão e nós mudamos a ocasião e o ladrão sumiu. Não dá para bater de frente com os criminosos. Então, a saída foi mudar o local. Beneficiamos assim as famílias, as crianças e os problemas envolvendo a criminalidade, a partir de uma atitude simples", conclui.

A senhora Neusa Pavan, que mora no Jardim Brasília há 45 anos, conta que as crianças da Escola de Educação Infantil Heitor Pompermayer adoram a praça. “Nos finais de tarde elas vêm em peso. Minhas netas também gostam muito daqui. A praça de fato ficou muito boa.