Últimas Notícias
Confusão
Troca de empurrões na Câmara vira caso de polícia
Vídeo mostra o momento em que o vereador esbarra, com o cotovelo levantado, no servidor, que revida com um empurrão

Por Larissa Souza

Em nota, a Câmara esclareceu que agiu rapidamente para conter a situação

Crédito: Reprodução

Em nota, a Câmara esclareceu que agiu rapidamente para conter a situação

O servidor Walter Koch registrou B.O (Boletim de Ocorrência) de lesão corporal contra o vereador Fabrício Polezi na madrugada de sexta-feira (24). No B.O, Koch afirma que foi agredido pelas costas, com um “tranco de ombro”, enquanto fazia uma live. O documento refere-se à situação que aconteceu na última quinta-feira (23), antes da 33ª reunião ordinária, e foi filmada por uma pessoa não identificada.

O vídeo mostra o momento em que o vereador esbarra, com o cotovelo levantado, no servidor, que revida com um empurrão. Em seguida, o assessor de Polezi o empurra.

Segundo Koch, ele foi até a Câmara para acompanhar uma manifestação em favor da votação sobre o oferecimento de bônus para servidores públicos municipais das áreas da saúde e educação. “Como servidor, eu fui lá apoiá-los”.

De acordo com ele, após perceber que o secretário municipal de Defesa do Meio Ambiente, Alex Gama Salvaia, pretendia entrar na Câmara, questionou um servidor da Casa de Leis a respeito da restrição de acesso à Galeria do Plenário. “Se ele não foi convocado e ele não é do Legislativo, não pode entrar, assim como outros da população”, disse o servidor.

Em seguida, o servidor iniciou uma live que, segundo ele, tinha o propósito de questionar a entrada do secretário na Câmara. Instantes depois, ele foi abordado pelo vereador. “No momento em que eu empurro não é porque eu quero o agredir, é porque me atacaram por trás, eu não sei quem é, eu me assustei, e a minha primeira reação como agente de segurança é afastar o agressor”, falou Koch.

Em seu Facebook, o vereador Fabrício Polezi publicou um vídeo sobre o acontecimento. “Ao me ver chegando, ele obstruiu a passagem, armou o corpo e preparou o cotovelo para me atingir. Não contente, ele me agrediu pelas costas”, afirma o parlamentar no vídeo.

Ele também diz que seu assessor “agiu instintivamente” para defendê-lo, e classificou Koch como um “causador de confusão”.

O vereador também registrou um B.O no qual afirma ter sido agredido com um “empurrão forte pelo pescoço”, após um “esbarrão”. Ele também relata no documento que sentia dores e iria passar por atendimento médico.

Câmara

Em nota, a Câmara esclareceu que agiu rapidamente para conter a situação, por meio da Guarda Civil e de servidores. “A Câmara, agora, se coloca à disposição das autoridades policiais, caso elas tenham sido acionadas pelas partes envolvidas, para colaborar no que estiver ao seu alcance, e reforça à sociedade como um todo que preza por um ambiente harmonioso, dentro dos preceitos democráticos”, afirmou.