Últimas Notícias
Tragédia
Avião cai e mata 7 pessoas
Laudo pericial de órgão ligado à Aeronáutica irá revelar o que realmente aconteceu

Por Ana Cristina Andrade

Avião, que seguia  para o Tocantins, bateu em um barranco e explodiu na hora

Crédito: Mateus Medeiros

Avião, que seguia para o Tocantins, bateu em um barranco e explodiu na hora

Um avião de pequeno porte, modelo King Air B250, que transportava a família de um dos acionistas do Grupo Cosan, Celso Silveira Mello Filho, 71, caiu ontem de manhã em Piracicaba, alguns segundos após decolar do Aeroporto Municipal Pedro Morganti, matando os sete ocupantes.

Além do empresário, na aeronave estavam sua esposa Maria Luiza Meneghel Silveira Mello, 73, seus filhos Celso Meneghel Silveira Mello, 46, Camila Meneghel Silveira Mello Zanforlin, 48, Fernando Meneghel Silveira Mello, 46, os pilotos Giovanni Dedini Gullo, 24, e Celso Elias Carboni, 39.

A queda, seguida de explosão, ocorreu por volta das 8h41 e se deu numa área da reserva Jequitibá, a poucos metros de um condomínio residencial e também da Faculdade de Tecnologia (Fatec), região do bairro Santa Rosa.

O avião, que seguia com destino ao Estado do Tocantins, bateu em um barranco e explodiu na hora. Segundo o Corpo de Bombeiros, as chamas atingiram dois hectares de vegetação e foram utilizados 60 mil litros de água na extinção do fogo.

Tanto os momentos da decolagem, quanto da queda e da explosão foram registrados por imagens de vídeos. Quando o avião deixava a pista, era observado por três pessoas que estavam dentro do aeroporto.

Elas presenciaram a tragédia e entraram em desespero. Às 8 horas, 41 minutos e 22 segundos, conforme registraram as câmeras de monitoramento de um imóvel particular, a aeronave bateu no barranco.

Moradores das proximidades também registraram o avião em chamas, enquanto outros acionaram o Corpo de Bombeiros. A confeiteira Daniela Travaglini Anastácio, 46, que fazia caminhada com seu marido Marcelo Milton Anastácio, de 53 anos, disse que por pouco não se tornou vítima da tragédia.

"Estávamos numa área de lazer que fica de frente para a Fatec, quando vimos o avião vindo na nossa direção. Ele fez o contorno e bateu no barranco, a uns 150 metros de nós", declarou. "Foi um livramento muito grande para o pessoal da faculdade porque, por pouco, o prédio não foi atingido também", acrescentou.

Foi assustador, de acordo com ela. "Vimos batendo, explodindo, eu tremia, chorava, foi muito triste. Eu queria ligar para os bombeiros, mas não conseguia de tão nervosa que fiquei", explicou.

Luto oficial

O acidente aéreo ganhou repercussão nacional, já que o empresário era conhecido no setor da agropecuária e proprietário de terras no Pará. Celso Mello também era irmão do presidente do Conselho de Administração da Raízen, Rubens Ometto Silveira Mello.

O prefeito de Piracicaba, Luciano Almeida, decretou luto oficial de três dias pelas mortes dos ocupantes do avião, e lamentou a perda das sete vidas.

"Infelizmente, tivemos essa tragédia inexplicável. Era uma aeronave novíssima, tinha acabado de sair da revisão ontem, um dos aviões mais seguros. Eram pilotos experientes e não sabemos o que aconteceu", declarou.

De acordo com ele, foi criada uma força-tarefa para elucidação dos fatos, com funcionários do Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto), Hyundai, entre outras empresas que se propuseram a ajudar, no que fosse possível, no local. "É um dia muito triste para todos nós de Piracicaba", destacou.

Notas de pesar

A Associação Comercial e Industrial de Piracicaba (Acipi) enviou uma nota de pesar pela morte da família de Celso Silveira Mello Filho e dos dois pilotos em nome dos diretores, conselheiros e das seis mil empresas associadas.

A Câmara de Vereadores também expressou as mais profundas condolências e lembrou que, em 2006, Celso Silveira Mello Filho foi homenageado com o título “Piracicabanus Praeclarus”.

Nas audiências públicas de ontem, às 14h e 19h, foi respeitado um minuto de silêncio e na reunião ordinária de hoje (15) será feito o mesmo.

O Simespi (Sindicato Patronal da Indústria) também manifestou seu mais profundo pesar. “As famílias dolorosamente atingidas por essa tragédia têm seu nome marcado na história e no desenvolvimento de Piracicaba. Nossa solidariedade irrestrita neste momento de dor”, diz a nota.

Declaração da família

Em nota oficial sobre o acidente, a família de Celso Silveira Mello Filho, sua esposa, Maria Luiza Meneghel, e seus três filhos, Celso, Fernando e Camila, classificaram o acidente como "trágico".

"A família das vítimas agradece imensamente as condolências e informa que, devido ao momento delicado de pandemia que estamos vivenciando, foi tomada a decisão de um velório reservado apenas aos familiares e amigos íntimos dos falecidos, que acontecerá no dia 15 de setembro de 2021, a partir das 10h, no Espaço Beira Rio, localizado à Rua do Vergueiro, nº 78, no Centro de Piracicaba", destacam.

A Missa de Sétimo Dia será realizada de forma aberta, avisam na nota.

Velório e enterro

A família das vítimas informou que, devido o momento delicado da pandemia, decidiu-se por um velório reservado apenas aos familiares e amigos íntimos dos falecidos.

O local do sepultamento não foi divulgado. A Missa de Sétimo Dia, de acordo com familiares, será realizada de forma aberta e comunicada a todos, assim que possível.

Anac informou que estava tudo em dia

Segundo a Anac (Agência Nacional da Aviação Civil, a aeronave estava com o certificado e a manutenção em dia. O certificado iria vencer em 13 de setembro de 2022.

A Agência informou, ainda, que as causas do acidente são desconhecidas e que compete à ela apurar informações operacionais sobre a situação da aeronave e dos pilotos a bordo - este último após confirmação oficial sobre os comandantes do voo.

Já as investigações sobre ocorrências aeronáuticas no país são realizadas pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), do Comando da Aeronáutica.

O laudo pericial irá revelar o que realmente aconteceu. A perícia foi registrada ontem mesmo, a pedido do delegado Fábio Rizzo de Toledo, titular do 5º Distrito Policial, e que formalizou a ocorrência do acidente aéreo instaurando inquérito. Ele aguarda o laudo que será emitido pelo Instituto de Criminalística de Piracicaba.