Últimas Notícias
Espaço Danç'Art
Grupo de dança ganhou mais de 30 prêmios
Conquistas vieram com apenas um ano e meio de existência

Por Larissa Souza

Atualmente, a escola possui 110 alunos, divididos em várias turmas

Crédito: Mateus Medeiros

Atualmente, a escola possui 110 alunos, divididos em várias turmas

A escola piracicabana Espaço Danç'Art, gerenciada pelo casal Max Elias de Almeida e Jefferson Fernando Cunha de Oliveira, ganhou 31 prêmios em concursos de dança promovidos entre 2020 e 2021. O grupo representou Piracicaba em diversas competições online, realizadas entre 2020 e 2021, e duas presenciais, promovidas este ano, uma em Salto e a outra em Valinhos.

Nas competições presenciais, o grupo, formado por 30 alunos, conquistou 24 prêmios em cinco modalidades, com apresentações individuais, em dupla, trio e grupo.

Os vários prêmios foram uma surpresa para o casal, que abriu o espaço de dança no ano passado. Max e Jefferson eram dançarinos de uma companhia que se apresentava em um navio de cruzeiro, na Europa, até o começo da pandemia. Com a pandemia, as viagens foram paralisadas e eles tiveram que voltar para o Brasil.

Desempregados e com pouco dinheiro, já que investiram todas as economias em um apartamento, eles começaram a trabalhar com seguro de carros. "A gente ficou meio infeliz porque a dança fez parte da nossa vida desde pequenos, mas precisávamos sobreviver", contou Max. Alguns meses depois, eles receberam a proposta de uma amiga para dar aulas na garagem de sua casa.

Eles começaram com aulas de fit dance, com um grupo de 10 alunos que realizava as aulas de forma alternada, devido à pandemia. Com o aumento da procura, alugaram um barracão e passaram a ministrar mais aulas. Neste período, começaram a gravar vídeos e encaminhar para competições on-line nacionais e internacionais.

Com a segunda onda da pandemia, o grupo de alunos diminuiu e eles voltaram a ter problemas financeiros. "Quando a gente chegou para dar a chave para o dono do barracão, ele deixou a gente ficar lá por mais dois meses", contou Jefferson. Eles conseguiram manter a companhia, e quatro meses depois, conquistaram a atual sede, localizada na rua Santa Cruz, 361.

Atualmente, a escola possui 110 alunos, divididos em várias turmas.

Além do pouco tempo de gerenciamento da escola, Max também contou que grande parte dos alunos da equipe que se apresentou nas competições tinha pouca ou nenhuma experiência com concursos. "A gente levou eles para esse meio para eles serem avaliados pelos jurados, não só por nós, e eles precisavam disso, é uma forma de incentivar", comentou Max.

Para a aluna Bárbara Barbosa, de 18 anos, o incentivo dos professores foi fundamental para que a equipe conseguisse êxito nas competições. "Quando soubemos que ganhamos tudo o que participamos, nós choramos muito e ficamos muito felizes", contou.