Últimas Notícias
XV de Piracicaba
Nhô-Quim sempre presente
Presidente do XV de Piracicaba, Rodolfo Geraldi, completa 70 anos de idade neste domingo (25)

Por Da redação

Rodolfo Geraldi é um piracicabano apaixonado pelo Nhô-Quim

Crédito: Divulgação

Rodolfo Geraldi é um piracicabano apaixonado pelo Nhô-Quim

“Todo mundo sabe que o objetivo é o de ser campeão. Os esforços foram feitos. Erros podem acontecer, mas o XV não vai entrar para participar. O XV vai entrar para ganhar e o trabalho está sendo feito para atingir o objetivo e voltar para uma divisão nacional”. A afirmação é do presidente do presidente do XV de Piracicaba, Rodolfo Geraldi, que hoje completa 70 anos de idade. Ele se lembra que após a eliminação nas quartas de final da Série A2, o XV passou por uma reformulação no elenco e agora busca o título da Copa Paulista.

Rodolfo Geraldi é um piracicabano apaixonado pelo Nhô-Quim. Ele conta que nasceu, em Piracicaba, é filho de agricultores e morava, no centro da cidade, muito perto do antigo estádio Roberto Gomes Pedrosa, dois, três quarterões... “Cheguei a jogar no infantil, mas ‘não tinha bola’, e a família também sempre fez pressão para que eu estudasse, então segui minha vida”, conta Geraldi.

“Tínhamos um grupo, meus irmãos, uns amigos, e íamos assistir aos jogos contra a Ponte Preta e o Paulista, de trem”. À época, ele participava desta forma, com caravanas, de carro, de ônibus, mas sempre presente, conforme descreve.

Após se formar na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) e sair da cidade por conta da vida profissional, Geraldi passou a acompanhar o XV à distância. Em 1992, retornou e se aproximou do Alvinegro. “Vinha ao estádio, fiquei sócio e passei a acompanhar mais de perto. O próprio Dr. Rubens (Ometto), da Raízen, quando vinha para Piracicaba ou eu ia para São Paulo para participar das reuniões de diretoria, sempre perguntava do XV”, lembra.

Eleito conselheiro em 2018, foi o presidente do Conselho do XV por dois anos, antes de se tornar o presidente em novembro de 2020. Entre as suas principais plataformas está uma reestruturação do clube. “Estamos fazendo um esforço. Nossos dois anos estão se passando. Daqui a pouco terminamos o primeiro ano. Infelizmente tivemos a pandemia, jogos sem torcida, as dificuldades aumentaram muito, as despesas… Mas dentro do possível estamos buscando caminhos para fazer de uma forma mais simples, mas com o objetivo de melhorar”, diz.

Com dificuldade para atrair novos recursos em virtude do momento econômico no período de pandemia, Geraldi enaltece a importância da torcida para ajudar. “O sócio torcedor tem dois aspectos. Um é que nos dá uma contribuição financeira mais estável. Você consegue contar com um recurso que é mais garantido. Outra situação é trazer ainda mais pessoas ao Barão da Serra Negra. Até o fim do ano deveremos ter a volta da torcida. O XV não vive sem a torcida, depende dela, e acredito que se tivéssemos torcida nos últimos anos poderíamos ter tido mais sucesso”, analisa.

A vinda de novos sócios torcedores também ajudará o XV a dar andamento nos projetos de infraestrutura. “O projeto da Coral está aí, todo mundo sabe, mas como o nosso diretor de marketing (Daniel Sonoda) costuma falar: ‘ tinta não pula na parede’. Estamos conseguindo parcerias para dar vazão às demandas e dar uma repaginada no estádio Barão de Serra Negra. É custoso, demorado, mas está caminhando. Além disso estamos fazendo mudanças para melhorar vestiários, academia e sala de fisioterapia. Você contrata jogador, ele fica 30 dias no Departamento Médico... faz parte, mas se puder evitar é melhor, porque você tem gasto e não conta com o atleta”, explica Geraldi.

Além das parcerias com patrocinadores, o XV também conseguiu verbas públicas para outras obras no Barão da Serra Negra, que foi inaugurado em 1965. “Fomos para esse caminho das parcerias público-privadas, tanto de parcerias de ICMS como emendas parlamentares para melhorar a infraestrutura. A Associação Amigos do XV também nos ajuda bastante. O estádio é antigo e precisava passar por uma modernização, não só na estrutura dos jogadores como também para a torcida vir e usufruir da melhor maneira possível. Isso vai desde uma entrada tranquila no estádio até banheiros em boas condições de uso”, pontuou o mandatário.