Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Alexei Navalny está 'muito fraco' e precisa de ajuda médica urgente
O opositor russo Alexei Navalny, em greve de fome há três semanas, está "muito fraco" e "não recebe" assistência médica, segundo sua advogada, que o visitou nesta terça-feira (20) na prisão e pediu que fosse transferido para um hospital civil de Moscou

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

O opositor russo Alexei Navalny, em greve de fome há três semanas, está "muito fraco" e "não recebe" assistência médica, segundo sua advogada, que o visitou nesta terça-feira (20) na prisão e pediu que fosse transferido para um hospital civil de Moscou.

"Está muito fraco, quase não consegue se sentar ou falar", disse Olga Mikhailova à imprensa, explicando que "ele não recebe ajuda médica" adequada no hospital da prisão e exigindo sua transferência.

Algumas horas antes, as autoridades russas impediram que vários profissionais da saúde, incluindo a médica pessoal do opositor russo Alexei Navalny entrassem no centro penitenciário em que o ativista foi hospitalizado na segunda-feira.

O militante anticorrupção, que não se alimenta há três semanas, foi levado na segunda-feira para uma unidade médica do complexo penitenciário em Vladimir, grande cidade ao nordeste de Moscou. Sua família e médicos afirmam desde o fim de semana que Navalny está em risco de morte.

Anastasia Vasilieva, médica pessoal de Navalny e líder de um sindicato opositor, afirmou que não foi autorizada a encontrar o paciente nesta terça-feira, como já havia acontecido em todas as suas tentativas anteriores.

"É uma atitude muito desrespeitosa em relação às pessoas que chegaram para exercer o seu dever humano, o dever médico de ajudar um paciente", declarou à AFP do lado de fora da colônia penal.

A médica destacou que se trata da "saúde e da vida" do advogado de 44 anos.

Navalny tem uma elevada concentração de potássio no sangue e poderia "sofrer uma parada cardíaca" a qualquer momento, segundo os médicos.

Os advogados do ativistas conseguiram entrar na penitenciária, constataram os correspondentes da AFP.

Alexei Navalny parou de comer em 31 de março em protesto contra as condições de sua detenção. Ele acusou a administração penitenciária de rejeitar seu pedido de visita de um médico: ele sofre de dupla hérnia de disco e perda da sensibilidade nos braços e pernas.

O inimigo número um do Kremlin foi detido em janeiro, ao retornar à Rússia após cinco meses de convalescença em um hospital da Alemanha por um envenenamento que atribui ao presidente Vladimir Putin.

Ele foi condenado a dois anos e meio de prisão por um caso de fraude de 2014, que considera uma manobra política.

"O estado de saúde de Navalny é satisfatório", afirmou na segunda-feira o serviço penitenciário, uma declaração questionada pela União Europeia (UE).

Leonid Volkov, próximo ao opositor, afirmou ele foi transferido para "um campo de concentração e tortura e não para um hospital".