Últimas Notícias
GERAL
Ilhabela contraria Doria e vai liberar bares e restaurantes
A prefeitura de Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, passou a permitir o atendimento presencial em bares e restaurantes, contrariando previsão do governo do Estado

Por Estadão Conteúdo

Crédito: Divulgação/Internet

A prefeitura de Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, passou a permitir o atendimento presencial em bares e restaurantes, contrariando previsão do governo do Estado. A gestão do governador João Doria (PSDB) abrandou medidas de restrição e retornou as cidades paulistas para a fase vermelha do Plano São Paulo, conforme anúncio feito nesta sexta-feira, 9. A fase, no entanto, não prevê liberação para estabelecimentos como os permitidos pela gestão municipal de Ilhabela.

Em Ilhabela, segundo o decreto municipal válido para este fim de semana, bares e restaurantes podem funcionar com até 35% da capacidade e distância de 1,5 m entre as mesas. Os clientes precisam fazer reserva previamente. Quiosques e bares da orla podem funcionar com delivery até meia-noite, o que contraria o toque de recolher noturno. O município liberou também salões de cabeleireiros, barbearias e áreas comuns em hotéis, além do atendimento presencial em lojas de material de construção com 35% da capacidade - medidas não previstas na fase vermelha.

A prefeitura alegou que o controle de acesso, com a exigência do exame tipo RT-PCR feito até 48 horas antes do acesso à ilha, garante ao município mais segurança para a flexibilização do comércio. "Temos queda nos casos e óbitos na cidade, se comparados aos meses anteriores. A população e o comércio têm seguido as regras, o que nos fez decidir pela liberação de alguns setores de forma segura e seguindo os protocolos sanitários", disse o prefeito Toninho Colucci (PL)

O governo estadual informou que "as prefeituras que descumprem o Plano São Paulo são notificadas e o Ministério Público é acionado para tomar as providências".

Interior adere à fase vermelha

As principais cidades do interior do Estado estão aderindo integralmente à fase vermelha do Plano São Paulo, anunciada nesta sexta-feira, 9. Os casos de desobediência às regras fixadas pelo governo estadual são pontuais. O governo anunciou o fim da fase emergencial de enfrentamento à pandemia e retorno à fase vermelha a partir de segunda-feira, 12, para os 645 municípios paulistas.

O toque de recolher das 20 às 5 horas e o veto às celebrações religiosas coletivas foram mantidos. Foi liberada também a volta às aulas nas redes pública e privada. Lojas de material de construção podem voltar a funcionar com atendimento presencial, seguindo os protocolos. A nova etapa do plano estadual vai até o dia 19.

Antes do anúncio das medidas pelo governo estadual, prefeitos dos 20 municípios da região metropolitana de Campinas já haviam decidido adotar o modelo de retirada de encomendas (take away) no comércio, em que os clientes podem retirar os produtos na porta da loja.

Os agentes políticos levaram em conta números indicando a redução nos novos casos de covid-19 e na pressão sobre a rede hospitalar. O modelo acabou sendo autorizado pelo plano. A prefeitura de Campinas informou que vai seguir as regras da nova fase, mas as barreiras sanitárias serão mantidas para garantir o toque de recolher noturno. São José do Rio Preto, Sorocaba e São José dos Campos também seguirão a nova fase.

Em Ribeirão Preto, após uma semana com recordes no número de pessoas internadas, havia expectativa de que algumas medidas do plano emergencial fossem mantidas. O secretário de Saúde, Sandro Scarpellini, disse que a cidade vai acompanhar o plano estadual porque há uma tendência de redução nos casos.

"A gente percebe que mesmo aqui os casos estão diminuindo. Além disso, as mudanças da fase emergencial para a vermelha não são drásticas." Em live, o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) pediu cuidados à população. "Deus queira que estejamos iniciando uma etapa de menor sacrifício, mas ainda são necessárias todas as cautelas. Não há magia, nem solução além do que está sendo feito."

Em Ubatuba, que nesta sexta registrou a 7ª morte pela covid-19 apenas nesta semana - no total são 39 óbitos -, a prefeitura estudava manter medidas mais duras que as da fase vermelha. As praias continuam fechadas para o público e as barreiras nas entradas da cidade voltam neste fim de semana.

"A situação é preocupante, por isso temos reforçado diariamente a necessidade de cumprimento dos protocolos de combate ao novo coronavírus", informou o município. Em Presidente Prudente, que neste sexta registrou mais oito mortes e bateu recordes no número de casos e internações, a prefeitura ainda não havia decidido na noite desta sexta se mantinha medidas mais duras que na fase vermelha.