Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Irã libera petroleiro sul-coreano retido em janeiro
O Irã liberou nesta sexta-feira (9) um petroleiro de bandeira sul-coreana, apreendido em janeiro, no momento em que as autoridades de Teerã pressionam Seul a desbloquear bilhões de dólares congelados pelas sanções americanas

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

O Irã liberou nesta sexta-feira (9) um petroleiro de bandeira sul-coreana, apreendido em janeiro, no momento em que as autoridades de Teerã pressionam Seul a desbloquear bilhões de dólares congelados pelas sanções americanas.

A liberação acontece no momento em que ocorrem negociações em Viena entre o Irã e potências mundiais para tentar salvar o acordo nuclear iraniano de 2015 e suspender as sanções dos Estados Unidos ao país.

Apreendido em janeiro pela Guarda Revolucionária, o exército ideológico de Teerã, o petroleiro "Hankuk Chemi" "partiu hoje são e salvo", e seu capitão foi liberado, informou o ministério sul-coreano das Relações Exteriores.

"A liberação do navio foi ordenada pelo procurador após a conclusão da investigação, a pedido do proprietário do petroleiro e do governo sul-coreano", confirmou o porta-voz da diplomacia iraniana, Said Khatibzadeh.

"A falta de antecedentes na região por parte do capitão e do navio motivou o procurador a tomar a decisão", disse Khatibzadeh.

Sites que monitoram o tráfego marítimo informaram que o petroleiro de 147 metros de comprimento seguia em direção ao Estreito de Ormuz.

No momento da apreensão do petroleiro, Teerã acusou o navio, que transportava 7.200 toneladas de "produtos químicos derivados do petróleo", de poluição marítima. Vinte membros da tripulação foram detidos.

Em fevereiro, o Irã permitiu que todos os integrantes da tripulação, com exceção do capitão, abandonassem o país por razões "humanitárias", mas muitos deles permaneceram a bordo para manutenção do petroleiro.

O Irã era um dos principais fornecedores de petróleo da Coreia do Sul até que Seul interrompeu as compras em 2018, quando o governo dos Estados Unidos, sob o mandato do presidente Donald Trump, decidiu sair do acordo nuclear internacional com o Irã.

Teerã acusou Seul de manter como "refém" sete bilhões de dólares de fundos de propriedade iraniano, mas negou que a apreensão do petroleiro teria qualquer relação com a questão.

O novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou que está disposto a tentar salvar o acordo sobre o programa nuclear iraniano. Esta semana começaram negociações entre a comunidade internacional e o Irã em Viena com este objetivo.

Seul anunciou em março que alcançou uma solução para desbloquear os fundos, mas aguardava a aprovação de Washington.

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, afirmou que o país era contra, exceto se a República Islâmica respeitasse novamente o acordo internacional sobre seu programa nuclear.

O ministério sul-coreano das Relações Exteriores não mencionou os fundos em seu comunicado desta sexta-feira.

O proprietário do navio, DM Shipping, não comentou a liberação.