Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Quatro médicos russos são condenados por ato pró-Navalny
Quatro médicos simpatizantes do opositor russo Alexei Navalny foram condenados a breves penas de prisão por se manifestarem na frente da colônia onde ele se está preso e em greve de fome desde 31 de março - informou a ONG russa Agora nesta quinta-feira (8)

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

Quatro médicos simpatizantes do opositor russo Alexei Navalny foram condenados a breves penas de prisão por se manifestarem na frente da colônia onde ele se está preso e em greve de fome desde 31 de março - informou a ONG russa Agora nesta quinta-feira (8).

Na terça (6), um grupo de pessoas se reuniu diante do acampamento de Pokrov (100 km de Moscou) - sobretudo, membros do sindicato Aliança de Médicos, ligado à oposição - para exigir informações sobre o estado de saúde de Navalny.

Quatro dos manifestantes detidos - os médicos Alexander Gueneralov, Valeria Merkulova, Artiom Boriskin e Ksenia Pakhomova - foram condenados a penas de detenção administrativa por até oito dias, relatou a Agora.

Navalny tem duas hérnias de disco, apresenta febre e tosse, perdeu a sensibilidade das mãos e sofre de dores nas pernas e nas costas, segundo sua advogada, Olga Mikhailova.

Mikhailova acusou a administração penitenciária de negar a Navalny o acesso a um médico de sua escolha e à medicação adequada para seu tratamento, assim como de "torturar" seu cliente, com privação do sono.

Em quase uma semana de greve de fome, Navalny perdeu cinco quilos, acrescentou Mikhailova.

Aliados e familiares exigem que Navalny seja transferido para um hospital e lembram que ele sobreviveu a um envenenamento no ano passado que o deixou em coma.

Detido em janeiro deste ano, ao voltar para a Rússia, foi condenado a dois anos e meio de prisão em um antigo caso de fraude. Navalny denuncia a motivação política de todo processo.

pop/alf/mba/zm/mis/tt