Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Europa inicia Eliminatórias para Copa de 2022 com restrições de público
Com algumas exceções, principalmente em regiões da ex-União Soviética, as Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2022 começará esta semana com arquibancadas vazias devido às medidas de combate à covid-19, três meses antes da Eurocopa

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

Com algumas exceções, principalmente em regiões da ex-União Soviética, as Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2022 começará esta semana com arquibancadas vazias devido às medidas de combate à covid-19, três meses antes da Eurocopa.

O Cazaquistão representa bem esse período de incerteza. Se por um tempo parecia que 30% do estádio Nur-Sultan seria ocupado para receber a França no domingo, por enquanto esta informação não foi oficializada e, segundo fontes próximas, poderia finalmente ser disputado a portas fechadas.

Os jogos sem público serão realizados por toda a Europa, incluindo nas doze cidades que vão receber a Eurocopa (11 de junho a 11 de julho), adiada um ano devido à pandemia.

A Uefa fixou o dia 7 de abril como prazo limite para que cada cidade-sede confirme em quais condições (com ou sem público) e proporções (quanto de ocupação das arenas esportivas) serão disputados os jogos que irão receber, diante de um desejo da entidade que comanda do futebol europeu de receber espectadores.

A Hungria continua com os jogos sem torcedores e a sediar encontros de clubes estrangeiros.

Sobre os duelos da Eurocopa, o porta-voz da Federação Húngara, Jeno Sipos, disse à AFP que "vão indicar à Uefa quantos espectadores" será possível receber em Budapeste no prazo fixado para as 12 cidades-sede.

O público também não estará presente no Azerbaijão, e por isso Baku foi excluída dos eventos testes para Eurocopa, uma péssima indicação sobre a manutenção da cidade como sede da competição continental.

Já Bucareste planeja 25% de ocupação dos estádios nos quatro jogos da Eurocopa que irá receber, mas encontros da seleção da Romênia pelas Eliminatórias contra Macedônia e a Alemanha serão à portas fechadas.

Na Dinamarca, o Copenhagen Parken está programado para sediar quatro duelos da Eurocopa. Neste sentido, a Federação Dinamarquesa (DBU) lançou uma campanha para "relançar o futebol" na quarta-feira, apelando ao regresso dos torcedores às arquibancadas nas competições nacionais. Já o duelo entre Dinamarca e Moldávia pelo torneio classificatório para o Mundial no Catar será sem público.

Um pouco mais ao norte, as condições de entrada na Noruega são muito rígidas, com quarentena obrigatória, o que levou ao cancelamento de vários eventos esportivos. O jogo da seleção norueguesa com a Turquia, agendado para 27 de março e que seria em Oslo, foi transferido para Málaga (Espanha), sem público.

A Noruega, liderada pelo atacante Erling Haaland, do Borussia Dortmund, já estará na província espanhola porque três dias antes jogará com o Gibraltar, em Marbella.

Na Inglaterra e no País de Gales, o plano do governo para o levantamento progressivo das medidas de combate ao coronavírus prevê o retorno dos espectadores aos estádios, em meados de maio, com capacidade máxima de 10.000 pessoas ou um quarto da capacidade do estádio.