Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Moeda turca afunda após demissão do governador do Banco Central
A lira turca desvalorizou drasticamente e as operações na Bolsa de Valores de Istambul foram interrompidas nesta segunda-feira (22), depois que o presidente Recep Tayyip Erdogan demitiu inesperadamente o presidente do Banco Central

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

A lira turca desvalorizou drasticamente e as operações na Bolsa de Valores de Istambul foram interrompidas nesta segunda-feira (22), depois que o presidente Recep Tayyip Erdogan demitiu inesperadamente o presidente do Banco Central.

A lira turca despencou quase 15% em relação ao dólar nas primeiras horas desta segunda nos mercados de câmbio, negociada na Ásia a 8,47 TRY por dólar, contra 7,22 TRY no final da semana passada.

Mais tarde, recuperou um pouco, subindo para TRY 7,97 às 8h30 GMT (6h30 de Brasília).

A Bolsa de Istambul também foi afetada e as operações foram suspensas duas vezes pela manhã, após uma queda de mais de 6% no índice principal, em aplicação de um mecanismo que prevê uma interrupção em caso de fortes oscilações.

Os mercados estão sendo duramente atingidos pela demissão por Erdogan do governador do Banco Central, Naci Agbal, um respeitado ex-ministro da Economia, quatro meses após sua nomeação.

Agbal foi demitido na sexta-feira à noite por meio de um decreto presidencial que não forneceu razões oficiais, mas aconteceu dois dias depois de o Banco Central elevar drasticamente sua principal taxa de juros oficial em 200 pontos base, um movimento bem recebido pelos investidores como forma de combater a inflação. Ele estava no cargo há apenas cinco meses.

A demissão de Agbal e a queda da lira no contexto de uma economia afetada pelo impacto do coronavírus deixaram muitos turcos desiludidos.

"A Turquia dá a impressão de ser um país que não segue nenhuma regra. Não há mais direitos, não há mais democracia e tudo isso tem um impacto", disse Adem Demirtas, consultor financeiro em uma rua comercial no centro de Istambul.

"Apoiar o governo não significa fechar os olhos aos seus erros. Se erros forem cometidos, eles devem ser reparados", declarou Sukru Kocak, outro morador da cidade.

Ahmet, um desempregado de 60 anos, observou amargamente que "os preços continuam subindo". "Não sei o que vai acontecer conosco", lamentou.

O presidente Erdogan, defensor de um crescimento forte alimentado pelo crédito barato, sempre expressou sua oposição às altas taxas de juros.

Ele regularmente se refere a elas como o "pai e mãe de todos os males" e diz, contrariando as teorias econômicas convencionais, que promovem a inflação.

Numa série de tuítes nesta segunda-feira, o número dois do partido governista AKP, Nurettin Canikli, justificou a substituição de Agbal, dizendo que não tinha cumprido a sua "principal tarefa" que, segundo ele, era "garantir a estabilidade dos preços".

Em uma tentativa de tranquilizar os investidores, o ministro turco das Finanças, Lütfi Elvan, declarou que seu país manterá um regime de taxa de câmbio livre, apesar da queda drástica da lira turca.

"Não faremos nenhuma concessão em relação ao mecanismo de livre mercado e manteremos um regime de taxa de câmbio livre", disse em um comunicado.