Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Turquia liberta deputado pró-curdo destituído de seu mandato
As autoridades turcas prenderam brevemente neste domingo (21) uma importante autoridade da oposição pró-curda que se recusava a deixar o Parlamento há vários dias para protestar contra a retirada de seu mandato de deputado após uma condenação por "terrorismo"

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

As autoridades turcas prenderam brevemente neste domingo (21) uma importante autoridade da oposição pró-curda que se recusava a deixar o Parlamento há vários dias para protestar contra a retirada de seu mandato de deputado após uma condenação por "terrorismo".

O ex-deputado Faruk Gergerlioglu "foi levado à força enquanto estava de pijama e chinelos" por "quase 100 policiais", declarou o Partido Democrático Popular (HDP, pró-curdo) em um comunicado.

Ele foi surpreendido na saída do banheiro do Parlamento onde acabava de fazer suas abluções para poder orar, acrescentou o HDP, que divulgou imagens mostrando Gergerlioglu em camiseta preta sendo levado por agentes da polícia.

Algumas horas depois, o gabinete do procurador-geral de Ancara anunciou em um comunicado que o ex-deputado havia sido libertado.

Durante seu depoimento na delegacia, divulgado pelo HDP, Gergerlioglu disse que não conseguia dobrar um dedo da mão e que sentia dores na nuca devido a sua detenção violenta.

As autoridades afirmaram, para explicar a intervenção da polícia, que Gergerlioglu gritou palavras de ordem a favor do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), um grupo descrito como "terrorista" por Ancara, no Parlamento. Mas o HDP negou essas acusações, apresentando um vídeo do momento da detenção como prova.

Famoso por seus combates em defesa dos direitos humanos, Gergerlioglu foi destituído de seu mandato na quarta-feira depois que a Justiça confirmou uma sentença de prisão de dois anos e meio por "propaganda terrorista".

O deputado rejeita as acusações e sua destituição foi condenada por várias ONGs e por países ocidentais.

Para protestar contra sua destituição, Gergerlioglu se recusava a deixar o Parlamento desde quarta-feira, dormindo e comendo em uma sala do prédio oficial.

"Era normal ver esse tipo de cena na década de 1990. Infelizmente, nada mudou desde então", disse ele no momento de sua prisão, de acordo com comentários relatados por seu partido.

De fato, vários deputados pró-curdos foram presos durante esta "década sombria" marcada pela intensificação do conflito curdo no sudeste da Turquia e uma intensa repressão aos círculos pró-curdos.

O HDP, o terceiro maior partido do país, também tem sido alvo de repressão implacável desde 2016, com a prisão de vários de seus legisladores e dirigentes, incluindo o carismático Selahattin Demirtas.

No dia da destituição de Gergerlioglu, as autoridades turcas exigiram o banimento do HDP, acusando-o de estar intimamente ligado ao PKK.

O mais alto tribunal turco deve decidir sobre este caso nas próximas semanas.

gkg/bds/mr