Últimas Notícias
GERAL
Em carta, ABEMI defende vacinação e coordenação nacional no combate à covid
A Associação Brasileira de Engenharia Industrial (ABEMI), junto a outras 12 entidades que somam 357 mil empresas, divulgou uma carta aberta à sociedade, na qual defende "veementemente" a vacinação e uma coordenação nacional no combate à pandemia, a partir de "evidências científicas, dados e estudos disponíveis"

Por Estadão Conteúdo

Crédito: Divulgação/Internet

A Associação Brasileira de Engenharia Industrial (ABEMI), junto a outras 12 entidades que somam 357 mil empresas, divulgou uma carta aberta à sociedade, na qual defende "veementemente" a vacinação e uma coordenação nacional no combate à pandemia, a partir de "evidências científicas, dados e estudos disponíveis".

Segundo a carta, o Setor de Infraestrutura e Logística Brasileira "se coloca à disposição" para mitigar os efeitos da pandemia. Juntas, as entidades signatárias do documento reúnem mahttps://www.estadao.com.br/ultimasis de 1,2 milhão de empregos e representam cerca de 90% do Produto Interno Bruto (PIB) da Infraestrutura do País.

"Hoje somos pária global, com uma marca de contaminação e mortes que não gostamos, nem podemos mais ostentar. Somente com a vacinação em massa contra a COVID-19 iremos estancar a perda de tantas vidas e erradicar a pandemia", declarou o presidente da ABEMI, Gabriel Aidar Abouchar.

A carta destaca também considerar alarmante o quadro do sistema de saúde, com esgotamento de insumos e equipamentos na maioria dos Estados. "Em paralelo, a situação econômica do país é extremamente preocupante, com forte retração das atividades e com uma taxa de desemprego elevada", afirma o documento.

As entidades indicaram também que o País tem estrutura para um programa de imunização mais robusto. "Vamos resgatar esse marco e, assim, vermos a nossa economia decolar. Temos que estar todos juntos pela vacinação", disse Abouchar.