Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Fim de semana sem praia no Rio e reconfinamento na Europa devido ao aumento de infecções
Os cariocas não poderão desfrutar de suas praias neste final de semana, fechadas para conter o coronavírus que só na sexta-feira deixou mais de 2

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

Os cariocas não poderão desfrutar de suas praias neste final de semana, fechadas para conter o coronavírus que só na sexta-feira deixou mais de 2.800 mortos no Brasil, enquanto milhões de franceses e poloneses iniciaram um bloqueio para controlar infecções.

Às restrições de movimento, a Europa acrescenta uma lenta campanha de vacinação e polêmica sobre o medicamento fornecido pela AstraZeneca.

Esta vacina voltou a ser administrada desde sexta-feira, por ser considerada "segura e eficaz", depois de ter sido suspensa por quinze países, mas a União Europeia só recebeu 30% dos 90 milhões de doses acordados para o primeiro trimestre, disse neste sábado(20) a presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen .

Leyen ameaçou, assim, bloquear as exportações da vacina AstraZeneca, fabricada na Europa e destinada a outros países, caso o bloco não receba primeiro as doses prometidas.

"Esta é a nossa mensagem para a AstraZeneca: respeite o contrato com a Europa antes de começar a fornecer [doses] para outros países", disse Von der Leyen.

Em todo o mundo, a pandemia já matou mais de 2,7 milhões de pessoas e infectou mais de 122 milhões.

Nos Estados Unidos, o país mais em luto pelo coronavírus, a taxa de vacinação acelerou nas últimas semanas, com uma média atual de 2,4 milhões de doses por dia e a meta de 100 milhões de imunizados já foi atingida nos primeiros 100 dias do governo de Joe Biden, com um mês de antecedência.

No Brasil, a pandemia parece estar fora de controle. A média diária de mortes dobrou (de 1.000 para 2.000), em relação ao mês passado e o país já acumula um balanço fatal de mais de 290.000 mortes por covid-19 e 11,8 milhões de infecções.

O gigante sul-americano vive o pior momento da pandemia, com hospitais em vários estados lotados e uma campanha de vacinação ainda em estágio inicial. Dos 27 estados brasileiros, 25 possuem ocupação igual ou superior a 80% em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

No Rio, esse percentual chega a 95%, segundo as autoridades. A situação é "muito crítica", resumiu o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, após anunciar o fechamento das praias neste final de semana. "Digo aos cariocas: é hora de ficar em casa", pediu aos moradores da cidade, anunciando que "medidas mais restritivas" serão anunciadas na segunda-feira.

As medidas adotadas de forma dispersa por governadores e prefeitos não têm sido suficientes para controlar a segunda onda da pandemia ou para convencer o presidente Jair Bolsonaro da necessidade de reforçar o isolamento social.

O presidente de extrema direita criticou a decisão de Paes sobre as praias na sexta-feira. "A vitamina D é uma forma de evitar que o vírus o afete seriamente. E de onde você tira a vitamina D? Tomando sol. Uma hipocrisia", disse Bolsonaro.

Em São Paulo, capital econômica e financeira do país, uma série de feriados foi anunciada para reduzir a circulação e as viagens.

A montadora Volkswagen anunciou a suspensão a partir desta quarta-feira e por 12 dias da fabricação de veículos em suas quatro fábricas no Brasil, "com o objetivo de preservar a saúde de seus funcionários e familiares".

A América Latina e o Caribe já registram mais de 737.000 mortes e 23 milhões de infecções.