Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Biden comemora ritmo da vacinação nos EUA e planeja enviar doses a México e Canadá
O presidente americano, Joe Biden, comemorou nesta quinta-feira (18) o bom ritmo da vacinação contra a covid-19 nos Estados Unidos, enquanto seu governo planeja enviar milhões de doses da vacina AstraZeneca para México e Canadá

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

O presidente americano, Joe Biden, comemorou nesta quinta-feira (18) o bom ritmo da vacinação contra a covid-19 nos Estados Unidos, enquanto seu governo planeja enviar milhões de doses da vacina AstraZeneca para México e Canadá.

Desde que Biden sucedeu Donald Trump em 20 de janeiro, a taxa de vacinação passou de pouco menos de um milhão de doses diárias, em média, para 2,4 milhões.

Os Estados Unidos começaram a vacinar sua população em 14 de dezembro e Biden estabeleceu como objetivo inicial aplicar 100 milhões de doses nos cem primeiros dias de seu mandato, ou seja, em 30 de abril.

"Estou orgulhoso de anunciar que amanhã (sexta-feira), no dia 58 do meu mandato, teremos cumprido meu objetivo de administrar 100 milhões de injeções nos nossos compatriotas", disse Biden na Casa Branca.

O presidente comemorou os avanços da vacinação neste país de 331 milhões de habitantes, o que soma mais vítimas fatais no mundo por este vírus registrado pela primeira vez na China em dezembro de 2019.

"Há oito semanas, apenas 8% das pessoas idosas, as mais vulneráveis à covid-19, tinham recebido uma vacina. Hoje, 65% das pessoas de 65 anos ou mais receberam pelo menos uma dose", disse.

"Isso é chave porque esta é a população que representa 80% das mais de 500.000 mortes pela covid-19 ocorridas nos Estados Unidos", acrescentou.

Os Estados Unidos superaram em 12 de março a marca de 100 milhões de doses da vacina anticovid aplicadas desde o início da campanha, no ano passado, segundo dados dos Centros para a Prevenção e o Controle de Doenças (CDC).

Atualmente, 30% dos americanos maiores de 18 anos receberam pelo menos uma dose da vacina contra a covid.

À aceleração da imunização nos Estados Unidos se soma a queda das taxas de infecção, o que gera expectativas de uma forte recuperação da maior economia do mundo.

No entanto, as autoridades sanitárias advertem que existe a possibilidade de um repique nos contágios.

"Este é um momento de otimismo, mas não é hora de relaxar", disse Biden.

"Agora não é a hora de baixar a guarda. Na última semana, vimos aumentos no número de casos em vários estados. Os cientistas deixaram claro que as coisas podem piorar à medida que se propagarem novas variantes deste vírus", afirmou.

Diante do ceticismo de amplos setores da sociedade com relação à vacina, Biden convidou todos a se imunizarem. Especialistas estimam que pelo menos 70% da população deva ser vacinada para que a imunização seja generalizada.