Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Países europeus retomam vacinação anticovid com AstraZeneca após parecer favorável
Pelo menos oito países europeus anunciaram nesta quinta-feira (18) a retomada das campanhas de vacinação com o medicamento da AstraZeneca, depois que a agência reguladora do medicamento (EMA) estimou que ela é "segura e eficaz"

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

Pelo menos oito países europeus anunciaram nesta quinta-feira (18) a retomada das campanhas de vacinação com o medicamento da AstraZeneca, depois que a agência reguladora do medicamento (EMA) estimou que ela é "segura e eficaz".

França, Alemanha, Espanha, Itália, Portugal, Holanda, Bulgária e Eslovênia anunciaram que vão dar o passo depois de uma semana de polêmica causada por alguns casos de coágulos sanguíneos entre vacinados, o que gerou preocupação em uma população cansada e tensa após um ano de pandemia.

"O comitê chegou a uma conclusão científica clara: é uma vacina segura e eficaz", disse a diretora-executiva da EMA, Emer Cooke, em videoconferência, após uma "análise profunda".

A vacina da AstraZeneca causou confusão logo após ser aprovada, quando países que haviam assinado contratos gigantescos de fornecimento notaram os casos de trombose.

Apesar disso, a EMA não descartou "definitivamente" que o medicamento possa estar associado a alguns raros episódios de trombos sanguíneos.

A França anunciou que estava retomando sua campanha e, simultaneamente, ordenou um confinamento parcial de pelo menos quatro semanas para Paris, sua região metropolitana e outras regiões do país.

No total, um terço da população francesa, submetida pela terceira vez ao fechamento de lojas não essenciais, terá uma distância máxima de 10 km de casa para poder caminhar. As escolas permanecerão abertas.

"Estamos adotando uma terceira via, uma forma que deve permitir frear sem travar", disse o primeiro-ministro Jean Castex, que será vacinado com AstraZeneca na sexta-feira, para dar o exemplo.

Quinze países haviam suspendido no início desta semana a administração da vacina por medo de reações como a formação de coágulos.

A EMA, que a aprovou no 29 de janeiro, decidiu seguir os mesmos critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS), que recomendou na quarta-feira a continuidade do uso da vacina da AstraZeneca.

A agência reguladora do Reino Unido também afirmou que não encontrou nenhuma ligação direta entre as vacinas AstraZeneca/ Oxford e Pfizer/ BioNTech e a formação de trombos.

No total, foram detectados 469 casos de coágulos sanguíneos entre os 20 milhões de vacinados com a droga na Europa, segundo dados oficiais. Para a EMA, o percentual não incomoda.

A urgência em agir, diante do constante surgimento de novas cepas do coronavírus, é cada vez maior.