Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Agência Europeia de Medicamentos considera a vacina AstraZeneca 'segura e eficaz'
A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) considerou nesta quinta-feira (18) que a vacina contra o coronavírus da AstraZeneca, suspensa em vários países europeus, é "segura e eficaz"

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) considerou nesta quinta-feira (18) que a vacina contra o coronavírus da AstraZeneca, suspensa em vários países europeus, é "segura e eficaz".

Apesar disso, não descartou "definitivamente" que o medicamento, um dos mais rapidamente aprovados e que já foi recebido por milhões de pessoas em todo o mundo, possa estar associado a alguns raros episódios de trombos sanguíneos.

"O comitê chegou a uma conclusão científica clara: é uma vacina segura e eficaz", disse a diretora-executiva da EMA, Emer Cooke, em videoconferência.

"Com base nas evidências disponíveis, e após dias de análise aprofundada" dos dados, "não podemos excluir definitivamente uma ligação entre esses casos e a vacina", disse a encarregada, entretanto.

Na Europa, vários países devem decidir rapidamente se retomam ou não a campanha de vacinação com o medicamento AstraZeneca, em um contexto de tensão devido ao atraso generalizado.

Além dessa decisão, o governo francês decidiu voltar a confinar 12 milhões de habitantes de Paris e outras regiões por pelo menos um mês.

Sete Estados europeus, incluindo Alemanha, França e Espanha, ampliaram a lista de quinze países que suspenderam no início desta semana a administração da vacina por medo de reações como a formação de coágulos.

França e Itália anunciaram que vão retomar a vacinação com este imunizante na sexta-feira.

A EMA, que deu luz verde à vacina desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford no dia 29 de janeiro, decidiu seguir os mesmos critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS), que recomendou na quarta-feira a continuidade do uso da vacina.

Nesta quinta-feira, a agência reguladora do Reino Unido também afirmou que não encontrou nenhuma ligação direta entre as vacinas AstraZeneca / Oxford e Pfizer / BioNTech e a formação de trombos.

No Reino Unido, onde a campanha de vacinação continua em ritmo acelerado, cerca de 11 milhões de pessoas receberam o medicamento AstraZeneca, que deve ser injetado em duas doses.

Há uma série de contratempos que coincidem com uma situação epidemiológica "especialmente" preocupante na Europa Central e nos Bálcãs, como alertou esta quinta-feira a OMS, com as infecções aumentando pela terceira semana consecutiva no Velho Continente.