Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Câmara baixa dos EUA vota duas leis migratórias em meio à crise na fronteira
A Câmara dos Deputados vota nesta quinta-feira (18) duas leis de imigração que fazem parte dos compromissos adotados pelo presidente Joe Biden, uma para viabilizar um caminho de cidadania para os "dreamers" - os jovens que vieram para os Estados Unidos ainda como menores - e outra voltada para trabalhadores agrícolas

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

A Câmara dos Deputados vota nesta quinta-feira (18) duas leis de imigração que fazem parte dos compromissos adotados pelo presidente Joe Biden, uma para viabilizar um caminho de cidadania para os "dreamers" - os jovens que vieram para os Estados Unidos ainda como menores - e outra voltada para trabalhadores agrícolas.

Espera-se que a votação avance sem problemas na câmara baixa, onde os democratas são maioria. No entanto, eles enfrentam um panorama complicado no Senado, pois precisam do apoio dos republicanos em um momento em que a oposição denuncia uma crise na fronteira com o México por causa do aumento na chegada de migrantes.

Nesta quinta-feira, a Casa Branca afirmou que a lei para proteger os "dreamers" é "um marco decisivo no caminho para dar um alívio tão necessário a milhões de pessoas sem documentos que consideram os Estados Unidos como seu lar".

A história dos "dreamers" foi cheia de avanços e retrocessos na última década, sem nunca ter sido alcançada uma solução no âmbito legislativo para esses quase 700 mil jovens, em sua maioria latino-americanos.

Em 2012, o presidente democrata Barack Obama concedeu-lhes o status de proteção por meio de uma ação executiva que estabeleceu a Ação Diferida para Chegadas na Infância (DACA), um decreto que lhes permitiu estudar, trabalhar, dirigir e protegê-los da ameaça de deportação.

Porém, o presidente republicano Donald Trump cancelou esse status, dando lugar a uma longa batalha judicial que terminou na Suprema Corte, que no último ano decidiu contra a forma como o presidente anulou o programa.

"Estou muito entusiasmada com o fato de que hoje a Câmara está dando um passo importante para acabar com o véu de medo e incerteza que tem atormentado a vida de nossos "dreamers" por tanto tempo", disse a repórteres a deputada democrata que promove a iniciativa, Lucille Roybal-Allard.

Steve Scalise, o líder dos republicanos na Câmara dos Deputados, pediu que sua bancada votasse contra a lei, afirmando que "pioraria o fluxo de ilegais" para os Estados Unidos.

Essa lei também prevê conceder um caminho de cidadania aos beneficiários do Status de Proteção Temporária (TPS), programa que oferece proteção a pessoas de países que sofrem com conflitos armados, desastres ambientais como furacões ou terremotos ou situações catastróficas como epidemias.

Paralelamente, os democratas vão aprovar uma lei para dar um status legal e um caminho de cidadania aos trabalhadores agrícolas.

O deputado democrata Raúl Ruiz defendeu que esses trabalhadores essenciais são infectados e morrem da covid-19 em taxas muito maiores do que a população em geral.

"Eles literalmente morrem para nos alimentar", ressaltou.

an/rs/bn