Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Liberal Mark Rutte formará governo na Holanda após clara vitória nas legislativas
O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, pronto para iniciar um quarto mandato, iniciou nesta quinta-feira (18) as negociações para formar uma nova coalizão de governo, após uma vitória clara nas eleições legislativas, marcadas pela crise de saúde

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, pronto para iniciar um quarto mandato, iniciou nesta quinta-feira (18) as negociações para formar uma nova coalizão de governo, após uma vitória clara nas eleições legislativas, marcadas pela crise de saúde.

No cargo desde 2010, o que o torna um dos líderes europeus a mais tempo no cargo, Rutte e seu partido liberal VVD vão negociar com outras formações, tendo conquistado 35 das 150 cadeiras da Câmara Baixa, duas a mais do que as atuais, de acordo com apuração de 88% dos votos.

O outro vencedor é o partido pró-europeu de centro-esquerda D66, liderado pela ministra do Comércio Exterior e Cooperação para o Desenvolvimento, Sigrid Kaag, que obteve 24 deputados (+5).

Os progressistas tornam-se assim o segundo partido do país, destronando o Partido pela Liberdade (PVV) do deputado de extrema direita e anti-islã Geert Wilders, que passa para o terceiro lugar com 17 cadeiras.

O partido do populista Thierry Baudet, o Fórum pela Democracia, melhorou seus resultados e conquistou oito cadeiras, contra as duas que teve na última legislatura, após uma campanha contra as restrições ao coronavírus.

Rutte declarou que é "evidente" que as negociações para formar um governo de coalizão se façam com o D66 e que ele continuará a trabalhar com o CDA (democratas-cristãos) do ministro das Finanças Wopke Hoekstra, que conquistou 15 cadeiras.

Essas duas formações já faziam parte da coalizão anterior, obrigada a renunciar em janeiro, depois que milhares de famílias foram injustamente acusadas de fraude para receber auxílio familiar. O governo foi mantido para administrar os assuntos correntes.

Rutte, que excluiu uma coalizão com Wilders, comemorou na quarta-feira à noite por ter recebido "um grande voto de confiança", após três dias de eleições legislativas marcadas pela crise de saúde.

O primeiro-ministro admitiu que "nem tudo tem estado bem nos últimos dez anos", mas que agora o objetivo principal é determinar como "reconstruir" o país após a pandemia.

O novo governo terá que encontrar uma saída para a crise "para que empresas, teatros, cinemas e museus possam reabrir", afirmou.

"Tenho energia para mais dez anos", disse ele.

Apelidado de primeiro-ministro "Teflon" por sua capacidade de sair ileso das crises políticas, Rutte pode se tornar o primeiro-ministro a mais tempo no cargo da história holandesa se permanecer no poder até o final de 2022.

Mas formar uma nova coalizão pode ser difícil, já que VVD, D66 e CDA combinados teriam duas cadeiras a menos para alcançar a maioria de 76 deputados na Câmara Baixa, o que significa que eles terão que encontrar pelo menos um outro parceiro num cenário político cada vez mais fragmentado.

Depois da apuração de quase 90% dos votos, parece que a Câmara Baixa será composta por um recorde de 17 partidos, igualando a marca de 1918.

Segundo a mídia local, a coalizão poderia recorrer a uma formação de esquerda, já que o menor dos partidos da atual coalizão, a formação de centro-direita Christen Unida, pode não ter o sinal verde dentro do D66, que quer um "mais sociedade progressista e mais verde ".