Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Pequim acusa EUA e Japão de "conivência" contra a China
A China denunciou nesta quarta-feira a "conivência" de Estados Unidos e Japão para interferir em seus assuntos internos, um dia depois de uma advertência de Washington e Tóquio contra o "comportamento desestabilizador" de Pequim na Ásia

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

A China denunciou nesta quarta-feira a "conivência" de Estados Unidos e Japão para interferir em seus assuntos internos, um dia depois de uma advertência de Washington e Tóquio contra o "comportamento desestabilizador" de Pequim na Ásia.

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, e o chefe do Pentágono, Lloyd Austin, visitaram o Japão na terça-feira, na primeira etapa de uma viagem destinada a reforçar os laços dos Estados Unidos com seus aliados na região à frente da crescente influência da China.

Em uma declaração conjunta após reuniões com os colegas japoneses, Toshimitsu Motegi e Nobuo Kishi, eles advertiram que "o comportamento da China, quando é incompatível com a ordem internacional existente, apresenta desafios políticos, econômicos, militares e tecnológicos".

"Os ministros se comprometeram a opor-se à coerção e ao comportamento desestabilizador (de Pequim) em relação a outros na região", completa o comunicado.

Uma declaração que "ataca maliciosamente" a política externa da China, respondeu Pequim nesta quarta-feira.

"A China critica (o conteúdo do texto) e se opõe com veemência", declarou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian.

A declaração de Washington e Tóquio "não leva em consideração os fatos e a verdade", disse Zhao, e é um claro exemplo de conivência entre Estados Unidos e Japão para interferir nos assuntos internos da China", completou o porta-voz.

Em ruptura com a era Trump, o novo governo americano deseja retomar as relações com o restante do mundo, especialmente com seus aliados tradicionais.

sbr/blb/pc/mar/fp