Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Pelé, Zidane, Messi... Antes de "Ibra", outros grandes retornos a seleções
Assim como aconteceu com o astro Zlatan Ibrahimovic, convocado nesta quarta-feira pela seleção sueca aos 39 anos e cinco anos após sua última convocação, outros grandes craques do futebol como Pelé e Lionel Messi voltaram a defender as cores de seus países após terem se afastado de suas seleções

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

Assim como aconteceu com o astro Zlatan Ibrahimovic, convocado nesta quarta-feira pela seleção sueca aos 39 anos e cinco anos após sua última convocação, outros grandes craques do futebol como Pelé e Lionel Messi voltaram a defender as cores de seus países após terem se afastado de suas seleções.

Campeão da Copa do Mundo de 1958 (na Suécia) e de 1962 (no Chile), Pelé vive um pesadelo no Mundial de 1966, na Inglaterra, vítima de entradas duras de seus adversários e da condescendência dos árbitros. Ele então decide se concentrar no Santos e não veste a camisa do Brasil nos dois anos seguintes.

Mas a Copa do Mundo de 1970 se aproxima e o astro se reencontra com sua equipe sob o comando de seu ex-companheiro de seleção, Mário Jorge Lobo Zagallo. Pelé brilha mais do que nunca no México e leva seu país ao terceiro título mundial. Sua aposentadoria pela seleção acontece um ano depois, em uma partida contra a Iugoslávia, no Maracanã.

Convocado pela primeira vez para a seleção nacional em 1988 por Bobby Robson, Gascoigne marca o futebol inglês por suas excentricidades, mas também por suas lágrimas na semifinal da Copa do Mundo de 1990, na derrota nos pênaltis para a Alemanha.

Robson deixa a seleção e Gascoigne é deixado de lado por seu sucessor Graham Taylor. Ele retorna para um amistoso, mas se machuca e perde a Euro-1992. "Gazza" se machuca novamente em 1994 e fica ausente durante um ano e meio. Em 1997, ele ajuda a Inglaterra a se classificar para a Copa do Mundo de 1998 na França, mas depois de um novo escândalo, Glenn Hoddle não o convoca para disputar o torneio. Gascoigne nunca mais vestiu a camisa da seleção inglesa.

Um ano após o anúncio de sua aposentadoria internacional depois de uma eliminação nas quartas de final da Euro 2004, Zidane anuncia seu retorno aos Bleus. Sob o comando de Raymond Domenech, "Zizou" leva a França à final da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, mas termina sua carreira extraordinária com uma famosa cabeçada no peito do italiano Marco Materazzi, que acaba provocando sua expulsão. A França, que abriu o marcador com um pênalti cobrado por "ZZ", de "cavadinha", perdeu nas penalidades máximas e a aventura na seleção francesa do atual treinador do Real Madrid termina com um gosto amargo.

Pentacampeão mundial em 2002 pelo Brasil, Ronaldinho Gaúcho foi regularmente convocado para a seleção. Titular na Copa do Mundo de 2006 na Alemanha, ele fica sem ser convocado durante 18 meses e não faz parte da convocação inicial para a Copa do Mundo de 2010 na África do Sul. O craque é incluído apenas em uma lista de suplentes na última hora (caso algum outro jogador da lista principal se lesionasse) e acaba não participando do Mundial. Meses depois do torneio, o craque volta a ser convocado regularmente, até 2013.