Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Policial de Londres comparece ao tribunal acusado de sequestro e assassinato de jovem
Um policial de um corpo de elite da polícia de Londres encarregado da proteção de missões diplomáticas compareceu nesta terça-feira (16) à Justiça, acusado de sequestro e assassinato da jovem executiva Sarah Everard, cujo desaparecimento comoveu o Reino Unido

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

Um policial de um corpo de elite da polícia de Londres encarregado da proteção de missões diplomáticas compareceu nesta terça-feira (16) à Justiça, acusado de sequestro e assassinato da jovem executiva Sarah Everard, cujo desaparecimento comoveu o Reino Unido.

O policial Wayne Couzens, de 48 anos, compareceu por vídeoconferência a uma audiência de 25 minutos no tribunal criminal de Londres. Ele está em uma prisão de alta segurança no sudeste da capital.

O juiz decidiu mantê-lo em prisão preventiva e estabeleceu 9 de julho para a audiência em que Couzens deve se declarar inocente ou culpado antes do início do julgamento, marcado provisoriamente para 25 de outubro.

Couzens, membro da unidade de proteção diplomática da Polícia Metropolitana de Londres, falou apenas para confirmar seu nome e data de nascimento.

Na semana passada ele foi acusado do sequestro e assassinato de Sarah Everard, uma executiva de marketing de 33 anos que desapareceu na noite de 3 de março.

A jovem havia visitado alguns amigos em Clapham, no sul de Londres, e voltava para casa em Brixton, a cerca de 50 minutos a pé.

Seu corpo foi encontrado uma semana depois em uma floresta de Ashford, no sudeste da Inglaterra. A causa oficial de sua morte ainda não foi anunciada.

O seu desaparecimento gerou uma preocupação renovada com a segurança das mulheres em lugares públicos, e levou o governo de Boris Johnson a prometer medidas para melhorar a proteção.

Essas medidas incluem um maior financiamento para aumentar a iluminação pública e as câmeras de segurança e um aumento das patrulhas policiais à noite.

A polícia de Londres é alvo de duras críticas devido à forma como dispersou uma vigília para Everard organizada em Clapham no sábado, apesar do confinamento contra a pandemia, na qual os policias empurraram e algemaram as jovens ali reunidas.

phz-acc/mar/aa