Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Maduro se vacina com Sputnik V; Venezuela se prepara para imunizar professores
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, recebeu neste sábado (6) a primeira dose da vacina russa Sputnik V contra a covid-19

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, recebeu neste sábado (6) a primeira dose da vacina russa Sputnik V contra a covid-19. junto com sua esposa, Cilia Flores, enquanto seu governo anunciou a imunização de professores a partir da segunda-feira com vacinas da farmacêutica chinesa Sinopharm.

"Estou vacinado, não sinto nenhum tipo de "skalosky" ou "fiebrasky"", brincou Maduro. "Dizem que você sai falando russo", afirmou o presidente de 58 anos, com uma risada.

Citando estudos espalhados pelo mundo, Maduro, que tem a Rússia como um de seus principais aliados - junto à China, Cuba e Turquia - destacou que o Sputnik V "é uma vacina com grande poder de gerar imunidade".

"Não doeu", comentou sua esposa. "Cilia é mais corajosa do que eu, em mim doeu sim", comentou Maduro.

Pouco depois de a TV governamental mostrar imagens de Maduro se vacinando, foi transmitido o pouso de um avião procedente de Moscou da companhia aérea estatal Conviasa com uma segunda remessa de 100.000 doses de Sputnik V.

O ministro da Saúde, Carlos Alvarado, juntamente com o embaixador russo em Caracas, Serguei Melik-Bagdasarov, e o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, comemoraram a chegada da aeronave no aeroporto internacional de Maiquetía, que atende Caracas.

"Já sabemos que o presidente Nicolás Maduro se vacinou, é uma grande honra para nós", declarou Melik-Bagdasarov, ao assegurar que "virão mais e mais vacinas" à Venezuela, segundo o acordado entre os presidentes dos dois países.

Em 18 de fevereiro, a Venezuela começou a fornecer a primeira dose da vacina russa contra a covid-19, a Sputnik V, ao pessoal de saúde do país, após receber 100 mil doses das 10 milhões encomendadas.

"Na segunda-feira começa a vacinação com a vacina chinesa. São 500.000 doses que chegaram ao país para 250.000 pessoas (...) São 100.000 professores que vão se vacinar e 50.000 pessoas que estão nas pesquisas casa a casa, que é a nova fase com a vacina chinesa", afirmou Alvarado.

Desde março de 2020, quando foram detectados os primeiros casos de covid-19 na Venezuela, as aulas presenciais foram suspensas. Maduro disse que prevê o retorno às escolas em abril.

Alvarado disse que "já são 700 mil doses" de vacinas no país. "500.000 doses da vacina chinesa e 200.000 da russa, e assim vão continuar chegando para a meta que temos que cumprir este ano de imunizar 70% da população venezuelana".

O lote de Sputnik V recebido neste sábado "é a segunda dose deste grupo de pessoas que estão na linha de frente do combate contra a covid", afirmou Alvarado em alusão aos profissionais de saúde.

Na segunda, 1º de março, chegaram ao país caribenho 500.000 doses da farmacêutica chinesa Sinopharm.

A Venezuela também tem entre 1,4 e 2,4 milhões de vacinas AstraZeneca reservadas através do sistema Covax da Organização Mundial de Saúde (OMS). No entanto, eles não conseguiram chegar por dívidas com a OMS.