Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Tribunal francês absolve ex-primeiro-ministro Balladur em julgamento por corrupção
O Tribunal de Justiça da República francesa absolveu, nesta quinta-feira (4), o ex-primeiro-ministro Edouard Balladur das acusações de corrupção por suspeitas de financiamento ilegal de sua fracassada campanha presidencial de 1995

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

O Tribunal de Justiça da República francesa absolveu, nesta quinta-feira (4), o ex-primeiro-ministro Edouard Balladur das acusações de corrupção por suspeitas de financiamento ilegal de sua fracassada campanha presidencial de 1995.

Seu ex-ministro da Defesa, François Léotard, foi condenado a dois anos de prisão e a uma multa de 100.000 euros (120.000 dólares) por "cumplicidade" no uso indevido de bens.

Nenhum dos dois esteve presente no tribunal para ouvir o veredito.

O Tribunal de Justiça da República, composto por seis deputados, seis senadores e três magistrados, é uma jurisdição francesa especial, a única habilitada para julgar os ministros por crimes cometidos no exercício de suas funções.

Balladur, que foi primeiro-ministro entre 1993 e 1995, foi acusado de ter financiado parte de sua campanha presidencial fracassada de 1995 com propinas ilegais pagas à margem de importantes contratos de armas com a Arábia Saudita e o Paquistão.

Em sua sentença, o tribunal destacou que não havia "nenhuma prova da existência de instruções dadas conscientemente por Balladur" sobre o pagamento dessas propinas ilegais.

A Promotoria, que estimava que Balladur, agora com 91 anos, estava "necessariamente ciente da origem criminosa dos fundos" que entraram em sua conta de campanha, havia solicitado uma pena de um ano de prisão com suspensão da pena e uma multa de 50.000 euros.

E contra Léotard havia solicitado uma condenação de dois anos de prisão com suspensão da pena e uma multa de 100.000 euros, já que estimava que seu ministro da Defesa estava "muito mais envolvido" na gestão das propinas ilegais.

Os promotores alegam que as propinas chegaram a 550 milhões de francos, ou seja, 117 milhões de euros.

asl-meb/zm/aa