Últimas Notícias
INTERNACIONAL
Biden pede respeito às medidas e Brasil atravessa o pior da pandemia
Enquanto a vacinação contra a covid-19 avança nos Estados Unidos e seu presidente critica a pressa em suspender as restrições, o Brasil, onde a campanha de vacinação é lenta, vive sua fase mais letal da pandemia

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

Enquanto a vacinação contra a covid-19 avança nos Estados Unidos e seu presidente critica a pressa em suspender as restrições, o Brasil, onde a campanha de vacinação é lenta, vive sua fase mais letal da pandemia.

Joe Biden lamentou as medidas anunciadas na terça-feira pelo Texas, que aboliu a obrigação do uso da máscara e decidiu reabrir todos os negócios na próxima semana, medidas imitadas nesta quarta-feira pelo Mississippi.

Segundo o presidente americano, essas decisões, justificadas pela aceleração na campanha de vacinação em massa, são um "grande equívoco".

"Espero que todos já tenham percebido que essas máscaras fazem a diferença", afirmou Biden, observando o número crescente de mortos.

"Este não é o momento de suspender todas as restrições", concordou Rochelle Walensky, diretora dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC), a principal agência federal de saúde pública do país.

Esses apelos para dar continuidade aos esforços de combate à pandemia, em um país exaurido por um ano de restrições, têm cada vez menos peso diante de boas notícias, como a queda acentuada de casos diários e mortes nos Estados Unidos e o avanço da campanha de vacinação.

Os funcionários da saúde dos EUA já realizaram mais de 78 milhões de injeções das vacinas Pfizer e Moderna. Em ambos os casos, são necessárias duas doses por paciente.

O otimismo despertado pelas vacinas em alguns países contrasta com as más notícias em outros.

O Brasil anunciou nesta quarta-feira o maior número de mortes por covid-19 em 24 horas (1.910), confirmando a clara deterioração da situação sanitária no país.

Na terça-feira, o país já havia registrado um recorde diário com 1.641 mortos.

Além disso, segundo dados do Ministério da Saúde, que os cientistas consideram inferiores aos reais, foram registrados 71.704 casos novos em 24 horas, o segundo pior número desde a chegada do coronavírus ao país.

A Venezuela anunciou, por sua vez, a presença no país da variante brasileira da covid-19.

"Um caso estranho apareceu em La Guaira" em um funcionário de um aeroporto que atende Caracas, disse o presidente Nicolás Maduro. "Fizemos um estudo" e "ficou demonstrado que era a variante brasileira", da qual há pelo menos 10 casos na Venezuela, acrescentou.

Na Europa, a Espanha ultrapassou as 70.000 mortes pelo coronavírus nesta quarta-feira, depois de atravessar o mês mais mortal da pandemia desde a primeira onda.