Últimas Notícias
INTERNACIONAL
China aumenta distância dos EUA em solicitações de patentes internacionais
A China, que se tornou em 2019 o maior solicitante de patentes internacionais, à frente dos Estados Unidos, aumentou a diferença no ano passado em meio a uma crise global, de acordo com estatísticas da ONU divulgadas nesta terça-feira (2)

Por AFP

Crédito: Divulgação/Internet

A China, que se tornou em 2019 o maior solicitante de patentes internacionais, à frente dos Estados Unidos, aumentou a diferença no ano passado em meio a uma crise global, de acordo com estatísticas da ONU divulgadas nesta terça-feira (2).

Apesar da queda do PIB global, os pedidos de patentes internacionais apresentados na Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), uma agência da ONU com sede em Genebra, aumentaram 4% em 2020, atingindo 275.900 solicitações, o maior número já registrado.

"A inovação continua forte", declarou o diretor-geral da OMPI, Daren Tamg, em entrevista coletiva.

Segundo especialistas da OMPI, ainda é cedo, porém, para analisar as consequências da pandemia, já que o tempo que decorre entre a apresentação de uma patente em um escritório nacional e sua chegada à agência costuma ser de 12 meses.

"A maior parte das patentes depositadas em 2020 no sistema PCT [Tratado de Cooperação de Patentes] referem-se a inovações ocorridas anteriormente, antes do início da pandemia", afirma o economista-chefe da OMPI, Carsten Fink.

"No entanto, o fato de não ter acontecido uma redução acentuada no número de patentes internacionais sugere que as empresas continuaram a investir na comercialização de suas tecnologias durante a pandemia", acrescentou.

Os dois principais usuários do sistema, China e Estados Unidos, tiveram um crescimento anual em depósitos de patentes.

Mas enquanto a diferença entre as duas potências mundiais foi de cerca de 1.000 pedidos em 2019, agora é de cerca de 10.000.

A China, com 68.720 solicitações (+ 16,1% de crescimento anual), continua liderando, seguida pelos Estados Unidos (59.230 solicitações, + 3%), Japão (50.520 solicitações, -4,1%), Coreia (20.060 solicitações, + 5,2%) ) e Alemanha (18.643 aplicações, -3,7%).

Entre os países que tiveram forte crescimento estão Arábia Saudita (956 solicitações, + 73,2%), Malásia (255 solicitações, + 26,2%), Chile (262 solicitações, + 17,0%), Singapura (1.278 solicitações, + 14,9%) e Brasil (697 aplicações, + 8,4%).

Em contraste, o uso do sistema internacional de marcas registrou leve queda. A tendência era, de acordo com a OMPI, "previsível, já que as marcas frequentemente correspondem à introdução de novos produtos e serviços, e ambos foram prejudicados pela pandemia global".

O impacto econômico da crise da saúde também afetou a demanda por proteção de desenhos industriais, que caiu 15% em 2020, a primeira queda desde 2006.

Em suas estatísticas, a OMPI também observa que, pelo quarto ano consecutivo, a gigante chinesa das telecomunicações Huawei Technologies, com 5.464 pedidos de patentes internacionais, foi a primeira requerente em 2020.

Foi seguida pela Samsung Electronics na Coreia, Mitsubishi Electric no Japão, LG Electronics na Coreia e Qualcomm Inc. nos Estados Unidos.

Entre os 10 principais solicitantes, a LG Electronics registrou o crescimento mais rápido (+ 67,6%) no número de pedidos apresentados em 2020, passando do 10º em 2019 para 4º em 2020.