Últimas Notícias
FERIADO
Cemitérios ficarão fechados no feriado de Finados
Finados: de 28 de outubro a 2 de novembro, espaços não abrirão para visitas

Por Da Redação

Finados: de 28 de outubro a 2 de novembro, espaços não abrirão para visitas

Crédito: Matheus Medeiros

Finados: de 28 de outubro a 2 de novembro, espaços não abrirão para visitas

Os cemitérios municipais de Piracicaba – Saudade, Vila Rezende e Ibitiruna – ficarão fechados ao público de 28 de outubro a 2 de novembro, feriado de Finados. O Cemitério Parque da Ressurreição, que pertence à Diocese de Piracicaba, também permanecerá fechado para visitantes. Nesses dias, os cemitérios estarão com atendimento somente para sepultamentos, exumações e velórios, além de construções e reformas já iniciadas.
O fechamento dos cemitérios – segundo explicações do Centro de Comunicação Social (CCS) da prefeitura, é motivado pela pandemia do novo coronavírus, já que um dos protocolos para evitar o contágio é o distanciamento social. Embora Piracicaba já esteja na fase Verde do Plano SP desde a sexta-feira (9), esclarece o CCS, a abertura dos cemitérios para um público grande de pessoas, como acontece tradicionalmente no feriado de Finados, só pode ocorrer após o Município estar 28 dias nessa fase.
Em razão da pandemia e, consequentemente, das restrições sanitárias, a Diocese de Piracicaba informa que este ano, excepcionalmente, a programação religiosa de Finados realizada nos Cemitérios de Piracicaba está suspensa.
As missas de Finados serão celebradas nas 30 igrejas paroquiais de Piracicaba, onde há melhor disponibilidade para acolher os fiéis. A Santa Missa Solene será realizada no dia 02 de novembro (segunda-feira) na Catedral de Santo Antônio, às 10h, presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Fernando Mason.
 
Queixa
O fechamento dos cemitérios no Finados não agradou floristas que trabalham no local, conforme apurou a Gazeta. “Na principal data do ano para nós, quando se espera até 40 mil visitantes nos cemitérios, nós não podemos trabalhar. Mas, bares continuam lotados, até depois das 22h, supermercados, varejões e ônibus também lotados, e não há fiscalização. Os cemitérios poderiam abrir com controle de acesso, mas a prefeitura não quer e estamos no prejuízo”, disse um florista que preferiu não publicar seu nome com medo de represália. Limpadores de túmulos que também ganham um dinheiro extra nesse período também serão prejudicados, acrescentou.