Últimas Notícias
COPINHA
Bilheteria prejudicada para o XV de Piracicaba
Clube fez quatro jogos sem público na quarentena; Fabinho chega ao Barão

Por José Ricardo Ferreira

Antes, arquibancadas cheias; agora, durante quarentena, só jogos com portões fechados

Crédito: Arquivo/Gazeta de Piracicaba

Antes, arquibancadas cheias; agora, durante quarentena, só jogos com portões fechados

Embora o foco agora seja a Copa Paulista, o presidente do XV de
Piracicaba, Arnaldo Bortoletto, precisou administrar um prejuízo grande
nas bilheterias esse ano no Paulistão A2. A pandemia de Covid-19
interrompeu os campeonatos e após a quarentena os jogos de todo o país
seguiram com os portões fechados. Os clubes, assim como o XV, precisaram
se adequar à falta de renda das bilheterias. "A pandemia atrapalhou, mas
mantivemos os compromissos em dia. O caixa acabou, não tivemos mais
bilheteria", disse o dirigente.
Levantamento da reportagem aponta que em 2019 o XV faturou em bilheteria
R$ 396,3 mil (valor líquido) em dez jogos no Estádio Municipal Barão da
Serra Negra pelo estadual. O valor é resultado da receita menos as
despesas que um jogo comporta. A cifra não leva em conta as futuras
deduções fiscais. E também o valor diferente de ingressos. Já esse ano,
devido à pandemia, dos dez jogos, quatro foram com os portões fechados,
portanto, sem a renda das bilheterias.
O resultado, com isso, foi desalentador: R$ 95,1 mil de arrecadação. O
Alvinegro deixou de faturar R$ 301,2 mil se comparado à renda total dos
jogos da A2-2019 em casa.
Para se ter uma ideia do prejuízo, na A2-2018, o XV arrecadou nos oito
jogos em casa R$ 156,1 mil. No ano anterior, R$ 44,6 mil nos dez jogos
em seus domínios.
O público também recuou no comparativo 2019/2020. No ano passado, sem
pandemia, o Barão recebeu em casa 45,9 mil torcedores (público pagante)
e esse ano 10,5 mil devido aos portões fechados em quatro partidas. No
ano passado, o jogo com mais torcida foi XV 2x2 Internacional de
Limeira, semifinal com 14,6 mil pagantes. Esse ano, o maior público foi
de 2,1 mil torcedores para XV 3x1 Red Bull, na primeira fase. Ficar sem
arrecadação nas semis custou caro ao clube esse ano.
Arnaldo disse que a A2 exigiu investimentos de R$ 5 milhões durante a
competição. Ele explicou que toda folha de pagamento foi quitada e que
agora é pensar na Copa Paulista. "Vamos buscar investidores. Vamos
contar com jogadores emprestados", disse, acrescentando que pratas da
casa e renovações de contratos também continuam na agenda. A previsão é
que a injeção de recursos nessa competição não ultrapasse R$ 150 mil.
Ontem chegou quinto reforço para a Copa Paulista, o atacante Fabinho,
29, por empréstimo do Brusque (SC). Hoje a equipe sob o comando de
Moisés Egert treina à tarde no Barão. O XV estreia no dia 4 de novembro,
contra o Primavera, em Indaiatuba, às 15h.