XV DE PIRACICABA
Em busca da vaga
Empate, nesta segunda-feira, no 'Canindé', levará o Alvinegro às semifinais

Por José Ricardo Ferreira

Meio de campo. Filipe Cirne durante treino no 'Barão': elenco tem opções para o duelo

Crédito: Mateus Medeiros

Meio de campo. Filipe Cirne durante treino no 'Barão': elenco tem opções para o duelo

O XV de Piracicaba enfrentará, nesta segunda-feira (14), às 17 horas, no Estádio 'Dr. Oswaldo Teixeira Duarte', o 'Canindé', a Portuguesa de Desportos, pelo jogo de ida das quartas de final do Paulistão da Série A-2. Como venceu por 3 a 2, em casa, o primeiro duelo do mata-mata, a equipe sob o comando do técnico Evaristo Piza se classifica com apenas um empate. Caso o placar seja pela contagem mínima a favor da Lusa a decisão será nos pênaltis. O técnico Evaristo deve ter força total diante da Portuguesa, em São Paulo (SP).
Por isso, tende a manter a mesma formação que virou o jogo no 'Barão da Serra Negra' após estar perdendo nos 15 minutos iniciais, por 2 a 0. O herói da partida foi o armador camisa 10 Daniel Costa, que fez os três gols do XV, sendo dois deles de pênalti. Dessa forma, o Alvinegro deve entrar em campo com Mota; Jefferson Feijão, Douglas Marques, Diego Jussani e Paulão; Felipe Manoel, Gabriel Soares e Daniel Costa; Raphael Macena, Kadu Barone e Caio Mancha.
A torcida é que o XV não precise dos pênaltis para buscar a classificação. Não há boas lembranças recentes já que no ano passado o time perdeu o acesso para a Inter de Limeira (2 a 2 no tempo normal e 3 x 4 nos pênaltis) em pleno 'Barão'.
O jogo desta segunda-feira também será um desafio para o treinador. Em 2018, Evaristo Piza era o técnico da equipe que chegou às semifinais da A-2. Porém, o time parou no Guarani. Em dois jogos, empatou em casa sem gols e perdeu por 1 a 0 no Estádio 'Brinco de Ouro', em Campinas (SP), e deu adeus ao acesso naquela oportunidade.
Diferente de 2018, o jogo desta segunda-feira é válido pelas quartas de final, isto é, precisa se classificar para a semi e então brigar pelo acesso. Há dois anos, o XV, dessa forma, tem batido na trave na briga pelo acesso. Evaristo Piza aposta na experiência do grupo para conseguir a classificação. A virada em cima da Lusa no jogo em casa foi a prova da força de reação da equipe, segundo ele.
“Você sair perdendo de 2 a 0 em um cruzamento equilibrado como esse, com duas equipes de alto nível, é complicado, e o fato de contarmos com um time experiente ajudou muito para que revertêssemos a situação. Conseguimos o empate ainda no primeiro tempo, conversamos no intervalo, fizemos alguns outros ajustes e viramos o placar”, comentou. Ele aposta nos contra-ataques para decidir o jogo a favor do XV.
Portuguesa e XV são velhos conhecidos. Quando o assunto é Série A-2, o Alvinegro leva vantagem. Com apenas cinco jogos, o XV venceu quatro vezes e perdeu apenas a partida dessa temporada, por 2 a 0, no 'Canindé', na estreia das equipes ainda em janeiro. A Torcida Uniformizada 'Esquadrão Alvinegro' fará uma carreata para acompanhar o ônibus com a delegação quinzista até a saída de Piracicaba, nesta segunda-feira.
'XV levou um choque'
O atacante Raphael Macena lembrou que no primeiro jogo diante da Lusa, o XV levou “um choque” tomando dois gols em menos de 15 minutos dentro do 'Barão da Serra Negra'. Ele promete manter o foco nessa “decisão” em busca do acesso. Ele disse ainda que a presença de Caio Mancha ajuda o XV a dar mais qualidade no ataque e espera fazer uma grande dupla nessa reta final do Paulistão da Série A-2.
A Portuguesa, no ano passado, beirou o rebaixamento pois ficou com a 11ª posição, com 17 pontos. Nesta segunda-feira o time entra em campo com certeza se recordando dos dois pênaltis considerados duvidosos que sofreu no 'Barão' e que foram a porta de entrada para a equipe levar a virada.
Para o jogo desta segunda-feira, o técnico Fernando Marchiori deve contar com os zagueiros William Magrão e Bruno Maia, o lateral-direito Danilo Baia e o volante Raphael Toledo entregues ao departamento médico antes do primeiro duelo do mata-mata e que obrigou o treinador a improvisar no sistema defensivo.