Emílio Moretti
O que é inteligência espiritual
Para sermos criativos, precisamos ser reflexivos. Não somos robôs.

Por Emílio Moretti

Emílio Moretti

Crédito: Del Rodrigues

Emílio Moretti

Para a Harvard Business Review, agora os líderes precisam de meditação mais do que nunca. Acordamos no modo reativo e enfiamos a cabeça no trabalho.
Começar o dia verificando seu e-mail e as notícias é uma boa idéia? Começar o dia com alguns minutos de meditação ajuda-nos concentrar e acalmar os pensamentos baseados no medo. Há muitas maneiras diferentes de fazer isso. Meditar é reflexão, e reflexão é sair do automático. E sair do automático é ser diferente, único e criativo. A expansão da consciência, através do autoconhecimento propicia a integração entre intuição e lógica, razão e emoção gerando maior criatividade e inovação em todas as áreas.
Design, catalisador de necessidades.
O design é catalisador de inúmeras necessidades que envolvem pessoas, conhecimentos e processos. O design é uma profissão interdisciplinar que desde sua origem é influenciado por filosofias, ciências e outras disciplinas. Em seu início o design foi influenciado pela tradição oral, artesanato, arte, semiótica, natureza dos materiais, física e física quântica, artes, existencialismo, estruturalismo oriental, psicologia Gestalt, etc. Com o aparecimento da neurociência e tecnologias, surgem novas fronteiras do autoconhecimento e conhecimento.
Nosso pobre cotidiano
Há uma profunda relação entre a crise da sociedade moderna e o baixo desenvolvimento da nossa inteligência espiritual. O mundo dos negócios atravessa uma crise de sustentabilidade.
Agora é a vez da Inteligência Espiritual
Você provavelmente já deve ter ouvido falar muito em Quociente de inteligência (QI) e Quociente Emocional (QE). O primeiro se refere à capacidade racional de um ser humano de resolver problemas lógicos.
O Quociente Emocional (QE) se tornou conhecido em meados dos aos 90 e está relacionado com a capacidade de lidarmos com as emoções.
No final do século XX, descobriu-se um terceiro tipo de inteligência humana que completa o QI e o QE, sendo necessário para o funcionamento eficaz de ambos: a inteligência espiritual ou QS (abreviação em inglês para Spiritual Quocient).
A inteligência espiritual trabalha as aptidões do ser humano em dar sentido e valor a comportamentos e ações que melhoram sua conexão com o outro e com o ambiente equiibrando razão e emoção com o mundo exterior.
O QS está ligado à nossa necessidade de ter um propósito na vida. Por meio dele, colocamos nossos atos e experiências em um contexto mais amplo de sentido e valor, tornando-os mais efetivos. Usamos o QS para desenvolver valores éticos e crenças que vão nortear nossas ações.
O conceito de Inteligência Espiritual, originalmente cunhado e estudado pela cientista Danah Zohar, é descrito de forma simples nas obras brilhante filósofo espanhol Francesc Torralba.
Segundo suas obras a inteligência espiritual põe em jogo o desenvolvimento pleno da pessoa, e não apenas de cada indivíduo, mas das sociedades, das culturas e dos povos. Todo ser humano, em cada comunidade humana, dispõe de uma inteligência espiritual que não depende de pertencer ou não a uma tradição religiosa.
Evidências científicas
O conceito de inteligência espiritual foi desenvolvido por Danah Zohar, física e filósofa americana, autora do livro QS Inteligência Espiritual. Seu trabalho está baseado em pesquisas divulgadas há pouco tempo por cientistas de várias partes do mundo que descobriram um “centro espiritual interno”, localizado entre conexões neurais nos lobos temporais do cérebro. Essa área é responsável pelas experiências espirituais das pessoas, embora não exista relação necessária com religião.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Como desenvolver a inteligência espiritual e ser um profissional melhor?
- Sentir-se satisfeito e motivado com o trabalho que faço na empresa;
- Perceber que está aprendendo cada vez mais e que tenho oportunidade de crescer
- Concordar com os objetivos da empresa e ter orgulho de trabalhar nela.
Efeitos da inteligência espiritual nas pessoas e profissionais.
Para ter uma inteligência espiritual desenvolvida é preciso tornar-se mais reflexivo, ser mais honesto consigo mesmo e autoconsciente. Sentindo suas motivações mais profundas é possível identificar e eliminar obstáculos.
O Gestor de RH poderá promover uma cultura organizacional espiritualizada, focado nas seguintes atitudes e suas principais ações:
EMOÇÕES POSITIVAS
O conforto proporcionado pelo ambiente de trabalho – academia, shiatzu, nutricionistas, entre outros.
ENGAJAMENTO
Comprometimento do funcionário na organização.
RELACIONAMENTOS POSITIVOS
Desenvolvimento do trabalho em equipe onde a liderança se torna o pilar responsável por manter a atmosfera equilibrada unida aos gestores de recursos humanos.
PROPÓSITO
Cultivar os valores da organização associados associados aos valores do indivíduo.
REALIZAÇÃO
As pessoas trilham o caminho do sucesso e da vitória pela compensação de atingir seus objetivos.
- Perguntam sempre “por quê?”
- Têm capacidade de colocar as coisas num contexto mais amplo.
- Têm espontaneidade.
- Têm compaixão