FASE VERMELHA
GC e Procon vão ampliar a fiscalização
Ações ocorrerão em estabelecimentos comerciais que não se enquadram

Por Adriana Ferezim

Na Fase Vermelha, o Comércio em geral não pode funcionar em Piracicaba

Crédito: Mateus Medeiros

Na Fase Vermelha, o Comércio em geral não pode funcionar em Piracicaba

Terça-feira, 30 de junho de 2020
A Guarda Civil e fiscais do Procon Piracicaba voltaram às ruas na manhã desta segunda-feira (29), para a fiscalização em estabelecimentos comerciais que não se enquadram em Serviços Essenciais. Por decisão do governo do Estado de São Paulo, anunciada na sexta-feira (26) o município regrediu da Fase 2 (Laranja) e retornou à Fase 1 (Vermelha) do Plano 'São Paulo' de combate ao novo Coronavírus (Covid-19). Dessa forma, as atividades que estavam flexibilizadas - Imobiliárias, Concessionárias de Veículos, Escritórios e Comércio em Geral - voltaram a fechar. A determinação segue até o dia 14 de julho.
De acordo com o prefeito Barjas Negri (PSDB), Piracicaba foi prejudicada nesse novo enquadramento porque a avaliação dos indicadores foi dentro da Região da DRS-10. São cinco critérios de avaliação, dos quais em quatro, Piracicaba se encaixa na Fase Laranja, mas pelo critério do Estado, as condições sanitárias de Limeira (SP), Engenheiro Coelho (SP) e Cordeirópolis (SP) pesaram na decisão.
Segundo o inspetor da Guarda Civil, Adaulto José de Oliveira, a intenção, nesta segunda-feira, foi orientar os comerciantes sobre a regressão à Fase 1 (Vermelha). O procurador-geral do município, Milton Sérgio Bissoli, ressaltou que serão ampliadas as fiscalizações do Procon e da Vigilância Sanitária, com o apoio da Guarda Civil e da Polícia Militar.
Para ele, a situação vem se agravando e somente com ações com base no Código Sanitário do Estado, a cidade poderá reduzir os índices de aglomeração e de transmissão da doença na cidade e retomar as atividades mais rapidamente e com segurança.
"É importante que as pessoas respeitem as regras impostas pelas autoridades sanitárias, como o uso de álcool em gel e de máscaras de proteção facial. Se cada um fizer sua parte, em 14 de julho poderemos voltar a flexibilizar as atividades que estavam liberadas", disse.
Nesta segunda-feira, o governador João Doria (PSDB) anunciou que passará a valer multa pelo desrespeito ao uso das máscaras, a partir desta quarta-feira (1º), em todo o Estado. Os estabelecimentos que forem flagrados atendendo pessoas sem máscaras, serão multados R$ 5 mil por cliente que estiver dentro do local sem o acessório. Para as pessoas que estiverem em áreas públicas sem máscara, a multa será de R$ 500,00.
A fiscalização será feita pela Vigilância Sanitária. Em Piracicaba, o procurador-geral do município, disse que aguarda a publicação do decreto do governador para analisar como essa ação se dará e que isso será discutido com o Gabinete de Crise da Covid-19.
Número de casos
O número de casos e óbitos por Covid-19 continuam crescendo em Piracicaba. Nesta segunda-feira, mais três óbitos foram registrados pela Vigilância Epidemiológica. Dois homens de 45 anos de idade e de uma idosa de 80 anos de idade, moradora do Lar dos Velhinhos. O novo Coronavírus já fez 92 vítimas na cidade.
Piracicaba tem 2.717 casos confirmados da doença, foram 182 novos casos positivados nesta segunda-feira. Entre eles, está uma menina de cinco anos de idade e outras 89 mulheres com idade até 85 anos. Entre os homens, foram novos 92 casos, um adolescente de 12 anos de idade e o mais velho tem 95 anos de idade.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, há 886 pessoas em tratamento da doença. Dessas, 147 estavam internadas nesta segunda-feira. Nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), estavam 57 pacientes, com taxa de ocupação desses leitos de 60% e, nas Enfermarias, estavam 90 pessoas. A taxa de ocupação desses leitos era de 73,17%, nessa segunda-feira. O município tem ainda 870 suspeitos da doença aguardando resultado de exames, 1.739 recuperados e 4.144 descartados.
HFC firma parceria com laboratório da Esalq/Cena
Como estratégia de combate ao Novo Coronavírus, o Hospital dos Fornecedores de Cana de Piracicaba firmou parceria com a Fealq para realização de testes da Covid19 no Laboratório da Esalq/Cena.
“O HFC coleta as amostras de colaboradoras e pacientes com suspeita de Covid-19 e faz o envio do material biológico para realização do exame, detecção do RNA do vírus, pelo Laboratório da Esalq/Cena. Além disso, coletamos amostras de colaboradores de empresas do Agronegócio a fim de realização do exame para retorno ao trabalho”, explicou a Supervisora biomédica e responsável técnica do Laboratório de Análises Clínicas do HFCLAB, Tabata Garcia Fernandes.
Nesse momento, obter resultados com rapidez e precisão é uma ferramenta importante no controle da doença. Com o diagnóstico, quem é positivo mantém o isolamento e não permanece transmitindo o vírus. Já quem é negativo pode retornar ao trabalho.
Com essa parceria, a falta de mão de obra, principalmente para os serviços de saúde, devido afastamentos por suspeita de Covid-19, também tem sido minimizado, pois aqueles que são descartados a suspeita de positividade, podem voltar às suas atividades. A capacidade máxima estimada do Laboratório Esalq/Cena é de cerca de 360 exames por dia.
O presidente do HFC, José Coral ressaltou que até mesmo os grandes laboratórios particulares do País estão com dificuldades para atendimento de PCR para a Covid-19, seja pela falta de insumos ou mão de obra especializada. “Essa é uma parceria que veio em um momento oportuno e tem contribuído de maneira importante para o HFC, seja para tomadas de decisões diante aos resultados de nossos pacientes ou retorno de nossos colaboradores para atuarem na assistência”.